Exclusivo Nuno Sousa: "O bom resultado do futebol tem disfarçado a dívida"

Nuno Sousa: "O bom resultado do futebol tem disfarçado a dívida"
Frederico Bártolo

Tópicos

Nuno Sousa, o primeiro candidato às eleições do Sporting apresenta o seu programa, em entrevista a O JOGO. Enquanto Frederico Varandas não assume e formaliza a recandidatura, o único que já anunciou que vai avançar critica a atual Direção no tratamento aos fãs e quanto à gestão financeira

Nuno Sousa, gestor de 45 anos, é o primeiro candidato assumido às eleições do Sporting e amanhã, em Vizela, a sua lista marcará presença para reunir assinaturas para formalizar a candidatura. Em maio de 2020 decidiu avançar e, a O JOGO, apresenta as linhas do seu programa, prometendo fazer diferente de Varandas nas contas e na ligação com os adeptos.

Quais são os eixos cruciais desta candidatura?
-Vamos dividir isto num campo de futebol. Os sócios são a defesa e o guarda-redes. Sem eles não há clube e nem sempre têm sido bem tratados. Não podemos ser inimigos das crianças ou das mulheres, os núcleos estão ao abandono e precisamos de reformulá-los e criar os núcleos virtuais. No meio-campo vem a gestão económico-financeira. Temos de aumentar receitas e contrair as despesas. Temos de resolver a reestruturação e recomprar os VMOC [Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis]. Passaram oito anos e nada foi feito. Se nada for feito até dezembro de 2026 o Sporting perde a maioria do capital, o que é muito preocupante. Ficaria reduzido a 33% da SAD e o futebol seria um organismo autónomo, no qual alguém poderia decidir a seu bel-prazer. No topo da pirâmide, no ataque, está a gestão desportiva.