Neto e os tempos livres: "Faço ioga, meditação e kickboxing, mas isto mata-nos por dentro"

Neto e os tempos livres: "Faço ioga, meditação e kickboxing, mas isto mata-nos por dentro"

Central do Sporting explicou como vive a quarentena

O isolamento social e as restrições impostas pelo governo para combater a pandemia do coronavírus estão a ser cumpridas pelo central leonino Luís Neto, que, em entrevista à Sporting TV, abordou como vive o momento e as novas rotinas que ganhou, perspetivando também o futuro.

O coronavírus e os novos hábitos:

"Já era uma pessoa muito caseira. Claro que tenho saudades, mas nós, jogadores, somos animais de hábitos. Agora estou em casa, a fazer o meu treino logo pela manhã, a fazer ioga, meditação, kickboxing... Tenho tentando preencher com atividades que me garantam estar bem fisicamente, bem-disposto, leve, com boa sanidade mental e isso tem ajudado a preencher o vazio que é não poder estar no nosso local de trabalho. Estamos à prova. Tiraram-nos a nossa paixão, o campo, o balneário. Neste momento, pensamos que regressar este mês será complicado... O tempo indeterminado vai-nos matando por dentro, mas o pensamento não pode ser no futebol, mas sim na saúde. Quando tudo estiver preparado, as instâncias superiores dirão quando será possível voltar tudo ao normal."

Relação familiar:
"Estive oito anos fora e nunca tive um espaço de tempo como este, nem nas férias. Perdi muito tempo do crescimento do meu filho e agora é um estreitar de laços, um conhecimento máximo, fazer parte e ajudá-lo. Estamos a desdobrar-nos e a inventar para criar jogos em casa. A relação fica de tal maneira... Como nunca foi! Na Rússia, estava com ele dois três dias numa semana, dormia em casa três noites. No Sporting melhor, mas ainda temos estágio duas vezes por semana. Quando tinha escola dizia que não queria ir; agora vai quase todos os dias à janela e diz que quer ir, porque tinha ginástica ou piscina."

ENTREVISTA À SPORTING TV