Ministério Público mantém prisão preventiva: "Vocês estão a dar cabo da minha vida. Tenho oito filhos"

Ministério Público mantém prisão preventiva: "Vocês estão a dar cabo da minha vida. Tenho oito filhos"

A magistrada Cândida Vilar desmontou o depoimento de cada um dos arguidos

Um dos momentos de maior tensão vividos esta quarta-feira, durante o debate instrutório, que decorre no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa, aconteceu quando a magistrada Cândida Vilar falava sobre o arguido Elton Camará, arguido que no depoimento afirmou que tinha ido à Academia porque era amigo de William Carvalho e de Jorge Jesus.

Foi quando Cândida Vilar ,que estranhou a razão pela qual Jorge Jesus nunca testemunhou a favor de Elton Camará, recordava a entrada do arguido na Academia que Elton insurgiu-se contra a procuradora, sendo questionado pelo juiz se queria continuar na sala, algo que, com alguma relutância, respondeu afirmativamente.

Considerando que o arguido sabia do que se passava e não se mostrava arrependido, a procuradora manteve a prisão preventiva de Elton Camará. Uma decisão que não foi bem recebida pelo arguido que se manifestou mais uma vez e abandonou a sala algemado. "Vocês estão a dar cabo da minha vida. Tenho oito filhos para dar de comer, não cometi nenhum crime para estar preso", atirou.

Quanto a Bruno Jacinto, oficial de ligação com os adeptos na altura do ataque à Academia, o Ministério Público propõe que se mude as medidas de coação para prisão domiciliária ao invés de prisão preventiva, considerando que não esteve diretamente ligado aos ataques e colaborou prontamente com as autoridades.