"Mea culpa" de Rúben Amorim atenuou-lhe pena de oito para seis dias

"Mea culpa" de Rúben Amorim atenuou-lhe pena de oito para seis dias
Bruno Fernandes

Tópicos

Treinador reconheceu, na conferência de Imprensa, que errou na reação junto da equipa de arbitragem no clássico, ação determinante junto do CD da FPF

O reconhecimento do erro por parte de Rúben Amorim na conferência de Imprensa pós-clássico foi determinante para o castigo de seis dias - e não de oito, como inicialmente previsto - aplicado pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol ao técnico do Sporting, conhecido esta quarta-feira.

Por norma, situações idênticas que envolvam treinadores, resultam em penas de oito dias, cenário que afastaria o treinador dos leões da deslocação aos Açores, marcada para sábado. Ainda assim, o CD teve em conta precisamente essa "mea culpa" de Rúben, reduzindo-lhe em um quarto o castigo (para 5,6 dias) e dando luz verde à sua presença no Estádio de São Miguel.

Eis as palavras de Amorim após o jogo com o FC Porto, onde acabou expulso por protestos na sequência do penálti revertido por Luís Godinho ainda na primeira parte.

"Faço 'mea culpa' porque não devia ter dito o que disse. Mas ouço isto todas as semanas e no momento antes ouviu-se pior de outro sítio. Portanto fiquei mais revoltado com a dualidade de critérios. Agora, claro que sim, os treinadores não podem falar assim com os árbitros. Aceito qualquer que seja o castigo ou punição", atirou Rúben, impedido, ainda assim, de lançar o duelo na sexta-feira, último dia do castigo.