Maximiano para vender no verão: os moldes de negócio que o Sporting procura

Maximiano para vender no verão: os moldes de negócio que o Sporting procura
Bruno Fernandes/Rui Miguel Gomes

Tópicos

Internacional sub-21 pretende jogar com regularidade e SAD está disponível para transferir.

Luís Maximiano vai ser negociado na reabertura do mercado de transferências, concretamente no verão, sendo que a saída em definitivo do Sporting o cenário mais provável.

Segundo O JOGO apurou, o guardião internacional sub-21 é um dos nomes que a SAD admite transferir no defeso, indo de encontro ao desejo do próprio atleta em atuar com maior regularidade, algo que deixou de acontecer com a chegada de Adán, mas também ao pressuposto de realizar alguma encaixe financeiro por um ativo que não está atualmente nas primeiras figuras da equipa, pelo que a saída não tem forçosamente o mesmo impacto caso o atleta de 21 anos fosse um titular.

Neste processo não pode ser dissociado o interesse que surgiu de alguns emblemas na sua contratação, concretamente de Itália, ainda que outros mercados, como o espanhol, estejam atentos ao atleta e ao momento do mesmo. A Udinese e a Sampdória são apenas alguns desses clubes, sendo que este último chegou mesmo a avançar no início da temporada com uma proposta de empréstimo com opção de compra obrigatória em função de um determinado número de jogos, que poderia representar um encaixe financeiro na ordem dos 10 milhões de euros. Rúben Amorim, então, deu o seu parecer negativo à transação e o presidente Frederico Varandas declinou a mesma, sendo que, de momento, o contexto é bem distinto.

De acordo com informações recolhidas pelo nosso jornal, uma transferência na ordem os cinco a seis milhões de euros, acrescidos de uma componente por objetivos, será uma base negocial aceitável para o elenco diretivo dos leões. Em cima da mesa estará certamente um percentual de uma futura transferência, algo que o Sporting procura sempre salvaguardar, pelo menos no decurso do mandato de Frederico Varandas. Luís Maximiano, que na presente temporada realizou apenas 270 minutos, em dois jogos da Taça de Portugal e um da Taça da Liga, renovou recentemente o seu contrato com o Sporting, concretamente em novembro, quando as expectativas eram as de que pudesse voltar a ocupar o lugar agora nas mãos de Adán. O vínculo atual termina em 2025, no qual consta uma cláusula de rescisão de 45 milhões de euros.