Maximiano, Donnarumma e o Milan: notícia O JOGO faz eco na Europa

Maximiano, Donnarumma e o Milan: notícia O JOGO faz eco na Europa
Bruno Fernandes/Rui Miguel Gomes

Tópicos

Expectável saída de Donnarumma obriga os rossoneri a olharem ao mercado: guarda-redes agrada aos responsáveis.

Luís Maximiano está, sabe O JOGO, no topo da lista do Milan para reforçar a baliza, isto num cenário de sucessão à estrela Gianluigi Donnarumma, guarda-redes que tem os mesmos 21 anos que a promessa leonina, mas que dificilmente vestirá as cores dos rossoneri na próxima época.

Com Mino Raiola, seu representante, empenhado em arranjar-lhe um megacontrato ao guardião - Chelsea e Juventus são, neste momento, os clubes em posição privilegiada para garantir os seus serviços - os responsáveis do emblema milanês fizeram uma investida ao mercado nos últimos meses para perceber que solução podiam encontrar: queriam um jovem, com margem de progressão e que já fosse titular de uma equipa com dimensão, características que o levaram diretamente a Max.

NÃO SAIA DE CASA, LEIA O JOGO NO E-PAPER. CUIDE DE SI, CUIDE DE TODOS

Mesmo sem qualquer contacto via Sporting, apurou o nosso jornal que os dirigentes do Milan abordaram alguns empresários conhecedores da realidade portuguesa, que os colocaram a par da situação do internacional sub-21 português, que também tem o Inter na sua peugada. Tal como o "TuttoMercato" noticiou no fim-de-semana, é verdade que os nerazzurri têm o camisola 81 dos verdes e brancos debaixo de olho, ainda que este não seja uma prioridade, como parece ser na lista do velho rival. Longe de cenários definitivos, e face à conjuntura que a covid-19 precipitou, dificilmente haverá execução de interesse a breve trecho, sendo esta um monitorização para uma oportunidade no futuro.

Renovação intocável
Com efeito, a renovação do contrato de Max, cujos detalhes foram noticiados em primeira mão por O JOGO, não está em risco: como informámos, o guardião, agenciado por Miguel Pinho, deve ser aumentado de 120 mil euros brutos anuais para 400 mil, podendo o vínculo, para já válido até 2023, prolongar-se até junho de 2025. A cláusula de rescisão passará, mal a pandemia o permita, dos 45 para os 60 milhões.

Notícia com eco na Europa

A notícia publicada na edição impressa de ontem foi partilhada em países como Itália, Espanha, Polónia, Turquia ou França, entre outros. Na Imprensa transalpina destaca-se mesmo a intensa luta nos bastidores entre os dois rivais de Milão para garantir a assinatura do guardião.