Leões chamam cobarde a Vítor Pereira

Leões chamam cobarde a Vítor Pereira

O Sporting não aceita as críticas do presidente do Conselho de Arbitragem às suas propostas, tendo o mesmo estado presente numa reunião em que foram discutidas, sem que tivesse apresentado qualquer objeção.

O Sporting emitiu há momentos um comunicado, em reação a uma entrevista de Vítor Pereira a O JOGO, acusando de cobardia o presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol.

"O Sporting Clube de Portugal manifesta a sua indignação e estranheza pelas declarações proferidas pelo presidente do Conselho de Arbitragem, publicadas hoje, num diário desportivo. Com as mesmas ficou clara a cobardia em discutir os assuntos pessoalmente e a falta de interesse em alterar o que está mal no futebol português. Esta entrevista apenas visou desvalorizar o trabalho elaborado, classificando de 'ideias' as propostas concretas apresentadas, chegando mesmo a afirmar que as mesmas não podem vir a 'contribuir para uma melhoria do futebol ou das arbitragens'", afirma a Direção leonina, num documento publicado no sítio oficial do clube.

Para o Sporting, as palavras do dirigente máximo da arbitragem lusa são inaceitáveis, já que esteve presente numa reunião em que as propostas foram discutidas, sem apresentar qualquer objeção.

"É importante realçar que Vítor Pereira, presidente do Conselho de Arbitragem, esteve presente na referida reunião. Neste encontro estiveram ainda presentes, o vice-presidente, Hermínio Loureiro, o secretário-geral, Paulo Lourenço, e o próprio presidente da FPF, Fernando Gomes, manifestou o seu agrado pelas propostas apresentadas, afirmando que as iria integrar nos grupos de trabalho já existentes na FPF, sendo, inclusivamente coincidentes com algumas já em desenvolvimento", explicam os leões, acrescentando: ainda: " No decorrer da reunião o presidente do Conselho de Arbitragem, tendo oportunidade e o dever, em sede própria, não expressou qualquer comentário ao documento. Ao invés, preferiu agora vir, na praça pública, tentar descredibilizar o trabalho realizado, contrariando o acordado entre o presidente do Sporting Clube de Portugal e o presidente da Federação Portuguesa de Futebol. Na altura foi combinado a realização de um trabalho conjunto, tendo por base a documentação apresentada, a que Vítor Pereira anuiu não se expressando contra."