"Estive sempre com os jogadores. Só com a polícia é que não jogavam os melhores"

"Estive sempre com os jogadores. Só com a polícia é que não jogavam os melhores"

Treinador do Sporting foi crítico da situação vivida nos últimos dias

Prestação da equipa: "Senti a equipa carregada fisicamente e emocionalmente um pouco desconfiada. Soltou-se mais depois do segundo golo. A fadiga mental é mais complicada, a semana foi complicada. Ninguém vai dobrar este grupo unido. Sabem que jogam para o emblema. Esta é a profissão deles. A vitória foi importante face ao que aconteceu."

Função de Jorge Jesus no conflito. "Não foi fácil. Nunca tinha passado por esta situação. Tive de perceber que tinha de defender um clube, eu e os jogadores. Principalmente eu. Foi o que fiz, contra tudo e contra todos. Eu estive sempre do lado dos jogadores. Hoje tinha de haver jogo com os melhores e foi o que disse aos jogadores, que ia escolher os melhores. Só com a polícia é que não iam jogar os melhores."

Processos disciplinares: "Não percebo os processos. Reparem na dignidade destes jogadores... Supostamente com um processo, jogaram em nome do Sporting. Vamos pensar e reflitir interesses do Sporting."