Premium Varandas quer 35 milhões limpos por Patrício e Gelson

Varandas quer 35 milhões limpos por Patrício e Gelson
Duarte Tornesi - Rui Miguel Gomes

Tópicos

Em Alvalade acredita-se que a conclusão dos processos é "uma questão de tempo", sendo que o presidente procura esticar os valores envolvidos, fora comissões, para patamares superiores aos oferecidos

Aumentar o encaixe líquido pelas "transferências" de Rui Patrício e Gelson Martins para valores na ordem dos 35 milhões de euros é, sabe O JOGO, a grande prioridade do recém-eleito presidente do Sporting, Frederico Varandas. As negociações entre Sporting, Wolverhampton e Atlético de Madrid têm decorrido de forma cordial - em Alvalade crê-se que a conclusão das mesmas com um acordo benéfico para as partes é uma "questão de tempo" -, tendo por base os valores iniciais apresentados pelos dois emblemas à então administração da SAD liderada por Sousa Cintra. Em causa, recorde-se, estão as duas últimas propostas que chegaram à sociedade pelos atletas, que, no caso de Rui Patrício, foi de 18 milhões de euros (M€) por parte do Wolverhampton de Nuno Espírito Santo, e no de Gelson chegou aos 22 M€, acrescidos de mais 5 M€ em variáveis por 75% dos direitos económicos do extremo.

Ora, aspeto relevante nas negociações, concretamente no que concerne ao negócio de Rui Patrício - que tal como o de Gelson contou com a participação da Gestifute de Jorge Mendes, ainda que este último seja agenciado por Ulisses Santos -, é que sete dos 18 M€ a encaixar pela SAD teriam de reverter para Jorge Mendes. Tal montante, nunca reconhecido pelo anterior presidente leonino, Bruno de Carvalho, servia para compensar a intervenção da Gestifute na renovação do contrato de Adrien Silva - a qual teve lugar a pedido do Sporting em 2012, quando o jogador estava prestes a ficar livre -, que na altura não cobrou de imediato qualquer importância, ficando a sua remuneração dependente de uma futura transferência do internacional luso, ou seja, uma percentagem do preço que não foi saldada aquando da mudança de Adrien Silva para o Leicester. Este valor será saldado, mas Frederico Varandas, apurou o nosso jornal, pretende que o mesmo seja colocado à parte do acordo, que, pelos últimos valores avançados, permitiam uma receita na ordem dos 33 M€. É nestes pressupostos que o presidente verde e branco está a trabalhar, em conjunto com Hugo Viana, seu braço direito para o futebol e com uma natural relação de proximidade com quem o levou em julho de 2002 para o Newcastle: Jorge Mendes.