Varandas critica arbitragem: "Que apareça um árbitro que não olhe para a camisola"

Varandas critica arbitragem: "Que apareça um árbitro que não olhe para a camisola"

Presidente do Sporting acusou a arbitragem de "ter medo" e teceu duras críticas após a derrota leonina no Estádio do Dragão.

Críticas à arbitragem: "Agora que a Liga terminou, gostaria de apelar às instituições que regulam, para não se esquecerem que há um jogo muito importante no próximo sábado, na final da Taça. Nunca me desculpei com as arbitragens, não o vou fazer hoje, mas é importante fazer uma análise. É verdade que o Sporting tem um presidente que incita à violência, um treinador que incute, que transmite violência para os seus jogadores e isso traduz-se numa equipa muito agressiva, muito violenta. É por isso que temos oito expulsões em 34 jornadas. Tenho de entender... É de facto resultado da violência que existe hoje neste clube. Veja-se o critério: um dos nossos rivais, viu hoje [sábado] pela primeira vez um jogador seu expulso. O Sporting quando fala é para haver melhor futebol, melhor arbitragem, melhores jogadores e melhores treinadores. Depois da final da Taça posso dar a minha opinião, mas a verdade é que se divide em duas partes: até à 28.ª jornada uma arbitragem boa, com erros, mas uma arbitragem sem grandes casos. A partir daí, faltou coragem. Vi lance - e alguns nem dizem respeito ao Sporting - que mancham o futebol português. Eu preocupo-me muito com o próximo ano. Que apareça um árbitro com coragem e que não olhe e veja se a camisola é do Sporting, do Benfica ou do FC Porto. Que saiba que existam regras. Admito a expulsão do Borja, mas vejo entradas que só dão amarelo - é preciso coerência e coragem. Confio no presidente do Conselho de Arbitragem. Sei o que é arrumar uma casa, mas peço-lhe que tenha coragem de arrumar a sua. Pode ser muito competente, mas se não tiver coragem de nada serve ao futebol português".

Desfecho injusto na I Liga? "Como adepto, a partir da 28.ª jornada os árbitros tiveram medo. Nas últimas jornadas tremem! Eu peço que apareça, no sábado, numa final muito importante, um clássico, um árbitro com coragem. Que veja o que é uma expulsão".

Árbitros com coragem: "Há. Mas eu peço é que apareçam. Eu próprio vou rever com toda a minha estrutura a nossa conduta violentíssima. Vou tentar melhorar, mas o que eu peço é um árbitro com coragem no Jamor".