Eleições no Sporting: prazo termina com oito listas apresentadas

Eleições no Sporting: prazo termina com oito listas apresentadas

São oito os candidatos às eleições do Sporting

A Mesa da Assembleia Geral (MAG) do Sporting recebeu até às 18h00 desta quinta-feira oito candidaturas às eleições do clube, marcadas para 8 de setembro, disse à Lusa o presidente da Mesa, depois de terminado o prazo para apresentação de listas.

Jaime Marta Soares esclareceu que, até segunda-feira, terá de avaliar se as candidaturas estão em conformidade com os estatutos do Sporting.

Após entrega formal das candidaturas, de acordo com os estatutos do clube, o presidente da MAG, "pode dar prazo de quarenta e oito horas para a correção de qualquer deficiência na apresentação das candidaturas, notificando para o efeito, por qualquer modo, o primeiro proponente".

Ainda de acordo com as normas leoninas, compete a Jaime Marta Soares "admitir as candidaturas, verificando a sua regularidade", que devem ser "propostas por sócios com capacidade eleitoral ativa que representem, pelo menos, mil votos".

O ato eleitoral vai recorrer ao voto eletrónico, sendo considerada "eleita a lista que obtiver mais votos do que qualquer uma das outras".

O antigo diretor clínico do Sporting Frederico Varandas foi o primeiro a formalizar a candidatura, tal como tinha sido o primeiro a anunciar a sua candidatura, seguindo-se o antigo guarda-redes de futsal João Benedito, o gestor Pedro Madeira Rodrigues e o banqueiro José Maria Ricciardi.

Na quarta-feira, os advogados Dias Ferreira e Rui Jorge Rego e o empresário Fernando Tavares Pereira formalizaram a entrega das suas candidaturas, depois de o antigo presidente também já o ter feito, na véspera.

Bruno de Carvalho, que foi destituído em Assembleia Geral, em 23 de junho último, encabeça uma das listas apresentadas, depois de ter admitido ser substituído por Erik Kurgy, dada a suspensão de um ano que enfrenta, por decisão da Comissão de Fiscalização.

Este foi o motivo para que o antigo vice-presidente do clube Carlos Vieira não tivesse formalizado a entrega da sua lista, uma vez que também está suspenso, tal como os antigos dirigentes leoninos Luís Gestas, Rui Caeiro e José Quintela, que integravam a lista do economista, juntamente com Luís Roque, este último alvo de repreensão.

Também o advogado Zeferino Boal acabou por desistir da 'corrida' eleitoral, anunciando o apoio a Ricciardi.