E-Toupeira: Sporting fala em "perplexidade geral" na reação à decisão do tribunal

E-Toupeira: Sporting fala em "perplexidade geral" na reação à decisão do tribunal

SAD do Benfica não vai a julgamento no processo, declarou esta quarta-feira o Tribunal da Relação de Lisboa.

O Sporting reagiu esta quarta-feira à decisão do Tribunal da Relação de Lisboa no processo E-Toupeira, que manteve a decisão da juíza Ana Peres em não levar a julgamento a SAD do Benfica.

O clube de Alvalade fala em "perplexidade geral face ao acórdão" e refere que "permanece incompreensível a cisão operada e agora mantida" entre a SAD encarnada e Paulo Gonçalves, antigo assessor jurídico das águias.

"Sem prejuízo daquilo que possa sustentar a decisão, em termos de argumentos de carácter formal e técnico, permanece incompreensível a cisão operada e agora mantida entre a referida SAD e o Dr. Paulo Gonçalves, o qual, a ser assim, teria agido de motu proprio, com objetivo e finalidades difíceis de conceber", assinala o Sporting, que promete manter-se atento aos "diversos processos sob investigação".

Leia o comunicado do Sporting na íntegra:

"A Sporting Clube de Portugal - Futebol, SAD comunga da perplexidade geral face ao Acórdão, conhecido hoje, que decidiu não pronunciar a Sport Lisboa e Benfica - Futebol, SAD, no caso vulgarmente conhecido como "e-toupeira" e foi por isso que, em tempo, acompanhou o recurso oportunamente apresentado pelo Ministério Público.

Sem prejuízo daquilo que possa sustentar a decisão, em termos de argumentos de carácter formal e técnico, permanece incompreensível a cisão operada e agora mantida entre a referida SAD e o Dr. Paulo Gonçalves, o qual, a ser assim, teria agido de 'motu proprio', com objectivo e finalidades difíceis de conceber. A Sporting Clube de Portugal - Futebol, SAD continuará a bater-se pela verdade desportiva com energia e intransigência, permanecendo atenta e actuante no âmbito dos diversos processos sob investigação e que indiciam práticas de enorme gravidade, com potencial impacto na verdade desportiva e que serão, uma vez provadas, merecedoras de sanção adequada nos planos criminal e desportivo."