Sporting anuncia ação contra ex-presidentes por causa de Maurício Vale

Sporting anuncia ação contra ex-presidentes por causa de Maurício Vale

Clube de Alvalade foi condenado a pagar 300 mil euros de indemnização ao antigo funcionário

O Sporting anunciou uma ação contra ex-Presidentes e dirigentes que estiveram nos respetivos cargos nos anos em que Maurício do Vale trabalhou no Sporting em situação ilegal, conforme argumenta o clube de Alvalade.

Nuno Saraiva, diretor de comunicação do Sporting, reagiu à condenação do clube, pelo Supremo Tribunal, ao pagamento de 300 mil euros de indemnização pelo despedimento de Maurício do Vale, em 2013, depois de 20 anos a trabalhar em Alvalade. O Sporting argumentou, na altura, que o funcionário do departamento de relações públicas não tinha vínculo com a entidade patronal, como se veio a comprovar, mas o Tribunal considerou que a ligação era factual, havendo direito ao pagamento do valor.

O Sporting lembra agora que Maurício do Vale "tinha um contrato de prestação de serviços em vigor", terminado nos primeiros tempos da direção de Bruno de Carvalho. No processo desencadeado pelo anterior funcionário foram chamados vários ex-presidentes, todos a par da situação, conforme indica Nuno Saraiva. "Foram indicados como testemunhas por Maurício do Vale os Presidentes do SCP Filipe Soares Franco - responsável pela alteração da natureza do contrato - que faltou, Dias da Cunha e José Eduardo Bettencourt que mantiveram esta situação, bem como os ex-dirigentes Aureliano Neves e Menezes Rodrigues. Para além das referidas testemunhas, também Godinho Lopes conhecia a situação contratual de Maurício do Vale, nada tendo feito para a regularizar."

Com base neste ponto o Sporting anuncia que tentará ser ressarcida da indemnização agora condenado a pagar. "Apurados os custos totais será colocada uma acção contra os Presidentes e dirigentes que praticaram estes actos e foram sendo coniventes com esta situação, para que a SAD seja por eles ressarcida de todo o valor despendido."