Sousa Cintra sobre Jesus: "Ainda tentámos que o embaixador arranjasse o passaporte..."

Sousa Cintra sobre Jesus: "Ainda tentámos que o embaixador arranjasse o passaporte..."

Sousa Cintra confirmou que tentou o regresso de Jorge Jesus ao Sporting.

Sousa Cintra confirmou que tentou o regresso de Jorge Jesus ao Sporting e que "houve uma altura" em que o treinador queria voltar, mas não foi possível. Entre elogios ao atual treinador do Al-Hilal, o presidente da SAD do Sporting explicou o que impediu o regresso a Alvalade.

"É verdade, falei com Jesus antes de falar com Peseiro. Ainda fiz uma tentativa para que ficasse, porque entendo que Jorge Jesus é um bom treinador. O bom treinador não é só aquele que pratica bom futebol e ganha campeonatos, o bom treinador é aquele que valoriza jogadores para que o clube os possa rentabilizar. Ficou a meio de um trabalho bom e entendia que devia concluir o contrato, estava no ponto onde as coisas iam acontecer", começou por dizer Sousa Cintra, em entrevista à CMTV.

O atual presidente da SAD leonina revelou também que houve uma altura em que Jesus queria voltar "de qualquer maneira", mas não conseguiu arranjar passaporte. "Houve uma altura em que Jesus queria vir de qualquer maneira, ainda tentámos que o embaixador arranjasse o passaporte, mas demorou muito. Mas a verdade é que ele também queria honrar o compromisso que tinha assinado com o Al-Hilal, espero que seja campeão lá e que deixe a sua marca", atirou.

Sousa Cintra também falou sobre a cláusula de confidencialidade, que já não é válida. "Pelo respeito por ele, mas pela justiça e pela liberdade. Fez um grande serviço, tem carinho pelo Sporting e é sportinguista, mas ao mesmo tempo é profissional. Não merecia ficar impedido de falar livremente, pois a liberdade é algo muito importante. Ainda assim sei que é responsável e nunca irá prejudicar o Sporting. Tenho uma ótima opinião do Jesus, não só como treinador, mas também como pessoa", referiu.

"Foi uma saída forçada, sem dúvida, que não estava no programa. Praticamente foi obrigado a sair, tal era a ordem caótica que imperava. Como treinador não tinha outro caminho. Ficou triste por sair, mas pelas circunstâncias tinha de seguir um caminho com consciência. Por reconhecer isso tentei o seu regresso, mas não deu. De certeza que voltará a Portugal, seja para treinar Benfica, Sporting ou FC Porto. É um treinador que tem categoria para treinar um Real Madrid, um Barcelona... É bom profissional, tem ideias, táticas, uma grande visão do futebol, é estudioso, sabe argumentar e idealizar as suas jogadas. Merece estar num grande clube. Um dia voltará à Europa e vai treinar um grande", terminou.