Sandro arrasa Sporting: "Andaram a brincar comigo"

Sandro arrasa Sporting: "Andaram a brincar comigo"

Jogador brasileiro não gostou nada da maneira como foi tratado pelos responsáveis leoninos

Sandro esteve com um pé no Sporting este verão, mas acabou por não assinar. Agora, o jogador brasileiro veio a público revelar o que correu mal.

"Os clubes conseguem tratar os jogadores como se fossem carne. Não os tratam como pessoas. O futebol é isto: os clubes tratam-nos como se fôssemos um produto", começou por dizer, em declarações ao "The Sun".

"Tinha a sensação de que não esperavam que eu fizesse testes médicos, porque quando cheguei ao hospital não havia material para os exames. Os jogadores não têm de trazer o seu próprio equipamento para fazerem testes médicos", acrescentou.

"Depois, na parte de verificarem o meu corpo, foi incrível: só viram o meu joelho direito. Perguntei se não iam ver o outro e disseram-me que estava tudo bem, mas eu sabia que não", rematou.

Sandro, de 27 anos, revelou ainda que recebeu uma segunda proposta dos leões, mas com apenas metade do salário.

"O clube disse que o meu joelho não estava bem. Passados 10 minutos, o meu agente ligou-me e disse-me que ofereciam metade do salário, mais bónus. A última coisa que o meu empresário disse foi que eu não ia querer ir para um clube como aquele. Era suposto assinar por quatro anos, por isso disse que o faria apenas por dois. Mas eles apenas queriam cortar no salário. Tudo fez sentido: porque haviam de ver apenas um joelho e não todo o corpo a não ser por não me quererem comprar?", disparou, lembrando ainda o caso do compatriota Lucas Silva.

"Senti-me muito mal. Como é que um clube faz isto a um jogador? Andaram a brincar comigo e isso não é justo. O que fizeram não só me afetou naquele dia como ainda me afeta atualmente. Não consegui assinar com o WBA e outros clubes porque eles viram as notícias. Uma semana depois de o Sporting me fazer isto, fê-lo também com o Lucas Silva. Disseram que ele tinha um problema cardíaco. Um dia depois regressou a Madrid e estava bem. Isto mexe com a vida das pessoas", concluiu.