"Não foi fácil aguentar o último mês"

"Não foi fácil aguentar o último mês"

O antigo treinador dos leões nega qualquer responsabilidade na época desastrosa a partir de Outubro, quando foi afastado do comando, e apela à união em torno de Bruno de Carvalho e Leonardo Jardim.

Ricardo Sá Pinto abordou há pouco, à margem de um encontro de treinadores, a conturbada época do Sporting, negando qualquer responsabilidade no sucedido a partir de Outubro, quando foi afastado do comando técnico.

"Sou responsável até à minha saída. A partir daí não. Não me podem responsabilizar por aquilo que não me deixaram fazer. Uma equipa nova, objetivos novos, a saída de jogadores que não deviam ter saído... Mas era preciso tempo. A qualidade de jogo estava lá, no início, mas a partir de certa altura, com tanta informação a sair e tanta descrença na nossa equipa... Não é fácil aguentar o último mês, com aquelas notícias. Um dia, com mais calma, iremos conversar. Com grande mágoa minha, porque me sentia contente com a função e sabia que íamos vencer", revela o agora treinador do Estrela Vermelha, antes de reafirmar o seu amor pelo leão.

"Espero que nunca tenho de defrontar o Sporting, não gostava que isso me acontece, porque é o meu clube, pelo qual vivo e torço e espero que ganhe sempre. Acho que, nesta fase, o clube precisa de calma, de apoio. Que o Leonardo precisa de tempo para trabalhar, Inácio também, como o nosso presidente, Bruno de Carvalho."

É mesmo esse o tom do antigo jogador e treinador do emblema verde e branco, que pede união em torno dos novos orgãos sociais. "As pessoas têm de perceber, de uma vez por todas, que as pessoas que foram eleitas, aqueles que foram escolhidos para a grande responsabilidade de serem treinadores e dirigente, têm de ser apoiados e, no final de cada ano, ou dos mandatos, devem tirar-se ilações ou tomar decisões. Que todos os sportinguistas se unam em apoio desta nova e jovem Direção, deste treinador, destes dirigentes. Só assim podemos ter um Sporting forte", afirmou.