MP pede libertação de Fernando Mendes, ex-líder da Juventude Leonina

MP pede libertação de Fernando Mendes, ex-líder da Juventude Leonina

Procuradora do Ministério Público Cândida Vilar requereu a libertação do arguido, por este enfrentar um grave problema de saúde.

O Ministério Público pediu a libertação de Fernando Mendes, ex-líder da claque Juventude Leonina e preso preventivamente no âmbito do processo da invasão à Academia de Alcochete, por razões de saúde, disse à agência Lusa fonte judicial.

Segundo a mesma fonte, a procuradora do Ministério Público Cândida Vilar requereu a libertação do arguido, por este enfrentar um grave problema de saúde.

Cabe agora ao juiz de instrução criminal Carlos Delca, após notificar a defesa do arguido, decidir nos próximos dias sobre a alteração da medida de coação.

Fonte prisional adiantou à Lusa que o antigo líder da Juve Leo está internado no hospital prisional de Caxias, concelho de Oeiras, desde 18 de abril.

Fernando Mendes marcou presença no Campus da Justiça, em Lisboa, a 13 de maio, data em que devia ter começado a fase de instrução do processo do ataque à Academia do Sporting, mas a mesma acabaria por ser adiada.

Numa mensagem publicada esta semana na sua página oficial no Facebook, a claque Juventude Leonina informou que Fernando Mendes "enfrenta um grave problema de saúde" e "precisa de um transplante de medula óssea".

Fernando Mendes é um dos 38 arguidos em prisão preventiva, no âmbito da invasão à Academia de Alcochete, em 15 de maio de 2018, quando cerca de 40 elementos encapuzados invadiram o centro de treinos do Sporting e agrediram alguns jogadores e elementos do 'staff' dos 'leões'.

Dos 44 arguidos, cinco continuam em liberdade, incluindo o antigo presidente do Sporting Bruno de Carvalho, e um está em prisão domiciliária.