Luciano Vietto parece ter perdido a química, mas procura redenção no Sporting

Luciano Vietto parece ter perdido a química, mas procura redenção no Sporting
Federico del Rio, Argentina

Tópicos

Fez 20 golos pelo Villarreal ao entrar na Europa, celebrando 19 nas quatro épocas seguintes. Pretende relançar a carreira.

É uma foto de um Luciano Vietto muito mais jovem do que aquele que, hoje com 25 anos, estará a caminho do Sporting que se pode vislumbrar na Galeria de Honra do Cilindro de Avellaneda, no estádio do Racing. Está ao lado de Diego Milito, Lisandro López, Rodrigo De Paul ou Sergio Romero, entre outros jogadores de renome formados naquele clube. Todos eles tiveram sortes diferentes e, no caso do avançado que voltou agora ao radar de Alvalade, continua-se a esperar a sua grande explosão. Teve-a no Villarreal, ao chegar à Europa, convencendo Simeone - o treinador que o lançou, ainda na Argentina, aos 17 anos - a levá-lo para o Atlético de Madrid. Desde então, porém, parece ter perdido a química. E ainda não voltou a comprovar todo o potencial que vinha demonstrando. Juntou Sevilha, Valência e Fulham ao currículo, cedido pelo clube madrileno, que procura ver algum retorno dos 20 milhões que investiu no seu passe.

"Com certeza que não é a melhor situação para um futebolista mudar de clube a cada ano. O Atlético nunca quis vender-me e talvez eu não tenha tido o rendimento que alguns dos clubes ao qual estive emprestado esperavam", admitiu o próprio avançado argentino ao chegar a Inglaterra para envergar a camisola do Fulham, a sexta nas últimas seis épocas. Mas não foi ainda ali que encontrou o seu espaço. "Sou um jogador mais vertical, gosto de trocar a bola com os meus companheiros, apoiá-los, fazer assistências e mercar golos. Muitas vezes julgam que sou um avançado-centro, mas julgo que esse não é o meu forte; desenvolvo-me melhor como segundo avançado", defendeu-se o aríete pretendido em Alvalade, numa justificação que teve mesmo respaldo em Simeone, que lamentou ter de o deixar sair. "Gosto muito dele como rapaz e futebolista, é uma pena que não tenha podido materializar em golos o seu futebol", atirou o Cholo.

A verdade é que Vietto procura reencontrar-se com todo o potencial já demonstrado, inclusive já na Europa. Passou dos 20 golos em 48 jogos pelo Villarreal, em 2014/15, a não chegar a esses festejos nos quatro anos que se seguiram, somando 19 nas passagens por Atlético de Madrid, Valência, Sevilha e Fulham. Os atributos, continua a tê-los. Todos os que o orientaram realçam as suas qualidades e apontam-no como um craque em potência, como fez o próprio Diego Simeone. Vietto ainda procura o seu lugar para singrar e vingar como a vedeta que os técnicos adivinham nele. Será no Sporting? A confirmar.