"Sou exigente. Aprendi que nada cai do céu"

"Sou exigente. Aprendi que nada cai do céu"

Futebolista sérvio falou à Sporting TV

Nemanja Gudelj foi reforço do Sporting no mercado de transferência, mas os adeptos leoninos ainda não tiveram oportunidade de ver o sérvio atuar. Em declarações à Sporting TV, o médio descreveu o que melhor faz em campo. "Nunca gosto de falar sobre mim, mas costumo sublinhar o quanto trabalho dentro de campo para ajudar os meus companheiros. Sou um jogador forte, que chuta à baliza, porque uma das minhas melhores qualidades é o remate de meia distância. 80% dos meus golos foram marcados de fora da área. Posso correr mais na posição oito, enquanto como seis preciso de segurar a defesa quando a equipa está a atacar, já que sou um dos primeiros obstáculos no momento da perda de bola. A oito participo mais ofensiva e defensivamente, e permite-me rematar com maior regularidade. Rematador? Tive de praticar, todos os dias. Já nasci com jeito para o remate, o que ajuda, mas ao início rematava com força e sem direção. Um dia disseram-me para colocar menos 10% na potência e mais 10% na direção. Tive retorno... Se tiver espaço a 20 metros da baliza vou rematar, de certeza."

O jogador, que chegou do campeonato chinês, lembra que aprendeu por todo o lado por onde passou e que já conhece um pouco do futebol português. "Da Holanda aprendi os aspetos técnico-táticos que se trabalham desde muito cedo. Estou sempre disposto a ouvir os conselhos dos treinadores e tive excelentes como Advocaat, De Boer... Sou exigente. Aprendi que nada cai do céu. Na China foi tudo muito novo. Gosto de aventuras e não tenho medo. Claro que tive dificuldades, mas o futebol é bom. São competitivos. Na primeira temporada no Tianjin Teda trabalhei com o míster Jaime Pacheco. Depois no Guangzhou Evergrande tudo atinge níveis de excelência. Aprendi diferentes formas de ver o jogo. Futebol português? Há quatro ou cinco clubes que mostram uma atitude positiva. Já vi alguns encontros e estou impressionado. Joguei contra Bas Dost na Holanda. É a definição perfeita de um avançado holandês.."

Gudelj lembra que falou com Peseiro quando ainda estava na China e que tem apreciado os treinos do português. "Falei com o treinador quando ainda estava na China. Ele ligou-me. Conversámos para que pudesse conhecê-lo melhor e ao Sporting. Foi muito simpático. Gosto do facto de saber o que quer e de fazer tudo o que pode para alcançar os seus objetivos. Também tenho gostado dos treinos porque não são muito longos, mas são bastante intensos. A qualidade do treino é elevada. Quero ser recordado como um bom jogador, que ajudou a equipa a ser campeã. Só posso prometer que vou dar o meu melhor", rematou.