Detidos das agressões indiciados por terrorismo e associação criminosa

Detidos das agressões indiciados por terrorismo e associação criminosa

Ministério Público adianta em comunicado que os 23 detidos estão indiciados por vários crimes.

O Ministério Público (MP) disse esta quarta-feira que os detidos pelas agressões a futebolistas e membros do staff do Sporting são suspeitos de práticas que podem configurar crimes de sequestro, ameaça agravada, ofensa à integridade física qualificada, e terrorismo, entre outros.

"Em causa estão factos suscetíveis de integrarem os crimes de introdução em lugar vedado ao público, ameaça agravada, ofensa à integridade física qualificada, sequestro, dano com violência, detenção de arma proibida agravado, incêndio florestal, resistência e coação sobre funcionário e também de um crime de terrorismo", refere a nota do MP.

Por entender que aos arguidos, num total de 23 detenções, devem ser aplicadas medidas de coação mais gravosas do que o termo de identidade e residência, o MP apresentou os detidos a primeiro interrogatório judicial no Juízo de Instrução Criminal do Barreiro, onde desde hoje à tarde estão a ser ouvidos.

A nota acrescenta que se está "indiciado que os detidos entraram, sem autorização, naquelas instalações onde se encontrava a equipa principal do SCP, tendo ameaçado e agredido jogadores e técnicos e causado estragos nos equipamentos bem como em diversas viaturas".

"As investigações prosseguem no âmbito de um inquérito dirigido pelo Ministério Público do DIAP da Comarca de Lisboa (secção do Montijo), o qual tem sido coadjuvado pela GNR", conclui a nota.