Bruno de Carvalho responde a Varandas: lamechas, mentiras, lamentável e o ex-sogro

Bruno de Carvalho responde a Varandas: lamechas, mentiras, lamentável e o ex-sogro

Bruno de Carvalho aproveitou a apresentação do livro "Sem Filtro" no Porto para responder de imediato às declarações, proferidas minutos antes, de Frederico Varandas, atual presidente do Sporting

Sobre o discurso de Varandas: "Foi um discurso lamechas e autofágico. Das coisas mais tristes que vi enquanto sportinguista. Estamos em 2011 ou 2012 novamente. O tempo todo a dizer mal do clube, dos funcionários, do software... é a primeira vez que vejo um presidente dizer que temos menos sócios que a direção dizia e disse-o com orgulho. Falou de processos que já estavam todos implementados. Tudo o que ele falou para a Academia, formação e funcionários já estava projetado e com o orçamento aprovado.

Mentiras e golpistas: "Só ouvi mentiras na conferência de imprensa. É verdadeiramente inaudito que uma pessoa venha dizer mal de um plantel, e não é uma pessoa qualquer, apesar de ser um dos golpistas do Sporting. Vem pedir que tem de se dar tempo porque nos rivais há tempo, mas foi uma das pessoas que mais fez para que esta direção com cinco anos de aprendizagem saísse para eles entrarem"

Lamentável e obras projetadas: "Foi lamentável enquanto ex-presidente do Sporting esta conferência de imprensa. Não teve nenhuma palavra de apreço aos sportinguistas. Nenhuma palavra a não ser chavões que nos permitisse perceber qual era o caminho para o futuro. É difícil a Varandas dizer muitas palavras. Esqueceu-se de dizer que fizemos campos novos no Polo EUL e na Academia. Esqueceu-se de dizer que fizemos obras de manutenção na cobertura do estádio"

Os quartos da formação: "Os quartos tiveram obras e estão todos restaurados. O laboratório para a formação, que já tínhamos preparado, implicava a mudança de dois ginásios e estava tudo orçamentado e aprovado. Só não fizemos o trabalho porque um conjunto de pessoas, com Varandas à frente, que ao se rirem dos acontecimentos de maio, fizeram cair uma direção que causava euforia e alegria nos sportinguistas"

O contrato e o sogro: "Se virem o valor anual que é pago e se perceberem que o Sporting deu sempre lucro nos nossos mandatos vêm que o trabalho de assesoria desta empresa foi extraordinário. Não é a empresa de Alexandre Godinho, que saiu logo da empresa. No processo de seleção entrou o meu ex-sogro, que não me diz nada. Sinto por ele o que sinto por Frederico Varandas. Isso é problema deles se têm pessoas com o caráter do meu ex-sogro. É completamente falso: foi um milhão faturado em cinco anos. Quando saímos deviam-se umas centenas a essa empresa"

As equipas B e a formação: "Uma das coisas que foi a minha luta desde que cheguei ao Sporting foi acabar com a equipa B. Agora é fácil estes catraios falarem da B porque não existe. Um plantel tem de ter entre 22 ou 24 jogadores. O Sporting aceitou fazer mais um triénio da B para ajudar as equipas da II Liga e tinham de se contratar jogadores, embora eu nunca quis que isso acontecesse. Fui sempre contra a B e a favor dos sub-23. A primeira coincidência, porque se fala tanto de dinheiro, é que em três jogadores, a atual direção pagou comissão de 1,5 M€. Estou a falar de Luiz Phellype, Doumbia e Plata, contratado para a B"