"Bas Dost era um jogador desgastado"

"Bas Dost era um jogador desgastado"

O treinador Leonel Pontes decifra a exibição e o rendimento do Sporting na meia-final da Taça de Portugal com o FC Porto. A melhoria tem uma explicação individual

O treinador Leonel Pontes olhou com atenção para a vitória do Sporting na meia-final da Taça de Portugal, eliminando o FC Porto e garantindo na marcação de grandes penalidades um lugar no Jamor.

Uma das maiores dúvidas, mesmo depois da vitória, foi a opção de Jorge Jesus de trocar Bas Dost por Doumbia. "Naquele momento Bas Dost era um jogador desgastado enquanto Bryan Ruiz, Gelson, Bruno Fernandes e Battaglia estavam bem. Montero já estava dentro e o único que podia entrar para garantir a velocidade e profundidade que o jogo apresentava era Doumbia. A opção recaiu em Bas Dost, o que é compreensível", disse Leonel Pontes.

Certo é que apesar do triunfo, o Sporting começou por ser dominado pelos dragões: "A partir do momento em que o FC Porto colocou Brahimi e Ricardo Pereira em movimentos interiores criou grandes dificuldades aos médios do Sporting, que pressionavam Óliver e Herrera deixando espaços nas costas. Foram estes momentos que fizeram o Sporting defender um pouco mais baixo, perdendo bolas nos momentos de transição quando tentava sair a jogar", disse.

Então de que forma conseguiu a equipa do Sportinh reverter a situação a seu favor? "Foi quando os jogadores começaram a marcar mais individualmente. Piccini passou a acompanhar o movimento de Brahimi por dentro, Gelson fez uma marcação maior a Alex Telles, Coentrão ficou mais agarrado a Ricardo e Acuña a Maxi. Isto fez com que a liberdade de movimento dos jogadores da frente do FC Porto fosse mais reduzida. Depois, o Sporting foi equilibrando com uma posse de melhor qualidade", concluiu o treinador