As eleições, o cargo, a mudança de Bruno e muito mais nas palavras de Inácio

As eleições, o cargo, a mudança de Bruno e muito mais nas palavras de Inácio

Augusto Inácio falou do Sporting enquanto comentador do programa "Trio d'Ataque", da RTP3

Inácio está de volta ao Sporting e logo numa fase conturbada do clube. O novo diretor geral dos leões lembrou que, por isso mesmo, não podia recusar o convite. "Senti que Sporting precisava de mim. Há coisas para se fazer, muito para fazer
Estou enquanto quiserem que esteja. Não estou agarrado a nada. Não posso voltar as costas ao meu clube."

Convidado num momento em que o Sporting pode avançar para eleições, Inácio lembrou que está disponível para tudo, mas questionou timing de uma possível ida às urnas. "Tenho de colocar todos os cenários. Tenho de colocar sempre a hipótese de Bruno de Carvalho não continuar. Se ele não continuar, nunca foi o dinheiro que me levou ao Sporting... Se vier outra direção, nunca serei problema. Serei sempre a solução. Encontrei o Sporting como sabem, um clube com dificuldades, muita gente a querer o lugar do presidente. Há coisas boas no meio do caos, como perceber em que se posicionamentos se colocam algumas pessoas. O momento de fazer eleições é agora, nas férias? Quem trata das contratações? Quem planifica? Há um esboço feito por Jorge Jesus, mas há coisas a ajustar. Nunca deveria haver eleições agora, com a época a preparar-se. Se houvessem eleições agora, o Sporting começava o campeonato já a 10 pontos do primeiro. Há uma semana disse aqui, na RTP, que achava que eleições era a melhor solução. Agora depois de refletir e do Bruno me ter dito algumas coisas, sobre o que isso iria atrasar em relação às ambições do Sporting... Hoje há divisões. Ainda não há eleições e já há candidatos. Quase que me atrevo a dizer que isto é um assalto ao poder. Se houver eleições, apareçam os candidatos. Mas o presidente está em pleno exercício de funções. O que está em causa é o momento. Se vier outro presidente, se acreditar no projeto, posso continuar no Sporting."

Quanto a Bruno de Carvalho, o diretor geral dos leões está convicto que os últimos episódios do Sporting mudaram o presidente. "Eu acredito que Bruno de Carvalho vai ser uma outra pessoa. Isto fez Bruno refletir. Já tomou medidas importantes e acredito que vai haver uma mudança. Foram feitas muitas coisas boas, mas também houve coisas menos boas."

Augusto Inácio aproveitou ainda para falar sobre João Gonçalves, envolvido no caso "Cashball" e que foi apontado com empresário do agora dirigente leonino. "Não tenho empresário. João Gonçalves não é o meu empresário. Há é empresários que me apresentam propostas de trabalho e depois aceito ou não aceito." De recordar que João Gonçalves intermediou a ida de Inácio para o Zamalek, no Egipto.

Sobre o episódio de Alcochete, Inácio sublinhou que foi uma surpresa para todos e que ele está a tentar colocar tudo em ordem para o arranque da época. "A ideia com que fiquei foi que foram todos apanhados desprevenidos com o que se passou em Alcochete. As coisas estão complicadas. Não podemos fugir a isso. Mas no meio das confusões tem de haver alguém com serenidade para pensar no Sporting. Há que juntar os cacos. Tenho obrigação de tentar juntar os cacos para que ao nível de futebol as coisas possam rolar. Agora saiu o médico. Temos de arranjar outros. Temos de marcar jogos, fazer isto, aquilo. Que não se aproveitem deste momento do Sporting."

Quanto ao plantel, Inácio deixou uma garantia a todos os adeptos. "Tenho a certeza que vamos ter uma equipa competitiva. O que gostaria é que fosse feito em outros moldes. Sportinguistas vão ter de acreditar por aquilo que vamos demonstrar. É a minha convicção. Sei como estamos. Vamos ter um belo plantel."