Acuña assumiu fim de ciclo no Sporting e garantiu que já não volta

Acuña assumiu fim de ciclo no Sporting e garantiu que já não volta
Federico Del Rio (Argentina)/Bruno Fernandes

Tópicos

Extremo assumiu a jogadores e staff da seleção fim de ciclo e que pensa rescindir por justa causa.

Marcos Acuña confidenciou a alguns elementos da seleção argentina que não voltará a vestir a camisola do Sporting. A decisão surge na sequência das agressões a jogadores e staff no centro de treinos do clube, a 15 de maio, caso que, crê o extremo, deixou insustentável a sua permanência na formação leonina.

Concentrado em Ezeiza, Buenos Aires, no primeiro estágio de preparação da alviceleste para o Mundial da Rússia, o "Huevo" não conteve a mágoa que apenas tinha partilhado com a família, amigos mais próximos e os seus representantes. Assumiu, por isso, que o cenário de avançar com a rescisão por justa causa é real, confirmando aquilo que O JOGO já tinha noticiado.

Acuña chegou mesmo a nomear Bruno de Carvalho como um dos principais responsáveis por toda a polémica criada no Sporting ao longo dos últimos meses, lamentando, por fim, ter de tomar esta decisão. Estava, assim como a sua mulher e os seus dois filhos, completamente adaptado a Lisboa, naquela que foi a sua primeira aventura fora do seu país natal.

No sábado, através do Instagram, a esposa de Acuña partilhou uma mensagem recebida em que um adepto deixa um aviso ao jogador, pedindo ajuda.

Recorde-se que os verdes e brancos contrataram o esquerdino ao Racing Avellaneda por quase 10 milhões de euros (fixou-se, com comissões e mecanismo de solidariedade nos 9,59). Assinou contrato até junho de 2021.