Homens de vidro viram ferro no Sporting e há um segredo para isso

Homens de vidro viram ferro no Sporting e há um segredo para isso
Mário Duarte

Tópicos

Programa preventivo tem permitido a Mathieu e Coentrão atirar para trás das costas registo clínico problemático.

Renascidos. De forma sucinta, poderia ser este o conceito lançado para catalogar a nova etapa nas carreiras de Jérémy Mathieu e Fábio Coentrão, jogadores recrutados a Barcelona e Real Madrid, respetivamente, com um histórico recente de lesões problemático. O central francês de 34 anos falhou 39 jogos devido a limitações clínicas nas duas últimas épocas e chegou a equacionar arrumar as botas, enquanto o internacional português falhou no mesmo período... 63 jogos.

Sem prejuízo dos benefícios inequívocos da gestão feita pelo departamento médico chefiado por Frederico Varandas, que trabalha e avalia diariamente a condição da dupla, Mathieu conta ainda com o apoio dos serviços do fisioterapeuta francês Arnaud Bruchard, que o recuperou no Barcelona. "O Jérémy pediu-nos para o acompanharmos em permanência. Todas as semanas um dos nossos colaboradores vai ter com ele, para o apoiar nas suas rotinas de trabalho e ajudá-lo a recuperar. Jérémy é um grande profissional e é um verdadeiro prazer poder ajudá-lo", começa por referir Bruchard a O JOGO, antes de assegurar total articulação e colaboração com o departamento médico leonino: "O mais importante para nós é retirar o máximo rendimento de um jogador e proporcionar-lhe as melhores condições para que ele jogue e otimize ao máximo as suas capacidades. Para isso, trabalhamos sempre em sintonia com o staff do clube, não substituímos em nenhum momento os fisioterapeutas ou os médicos do clube, trabalhamos em conjunto para melhorar (seja pela prevenção ou otimização) individual e especificamente cada jogador."

Desafiado a pronunciar-se sobre a capacidade de Mathieu manter o nível exibicional que voltou a apresentar esta época por mais algum tempo, Bruchard perspetiva: "A carreira de um jogador é muito exigente. O futebol é um dos desportos coletivos mais desgastantes. Tem a maior densidade energética (distância percorrida por tempo efetivo de jogo) e a tendência é exigir cada vez mais maior poder de explosão. O futebol do futuro vai ter 1700 mudanças de direção contra as 1300 dos dias de hoje, vai ter 110 acelerações e desacelerações em vez das atuais 70... será, por isso, cada vez mais exigente. Serão precisas capacidades além do normal, um trabalho profundo e adaptado, um suporte biológico e médico ainda mais profissional e, sobretudo, uma mente de aço. O compromisso, a motivação e o foco serão cada vez mais condições primordiais para determinar a duração de uma carreira. E, nesse aspeto, o Jérémy tem de sobra! Em qualquer caso, ele sabe que pode contar connosco para o ajudar. Claro que tudo o que propomos tem de levar em linha de conta tudo o que que ele faz diariamente no terreno. Sem análise da carga e adaptação, nada se pode fazer. Temos uma metodologia muito precisa, mas também, e sobretudo, uma equipa com ligações aos melhores especialistas da Europa. É por isso que procuramos sempre conseguir um trabalho concertado com o staff dos clubes."

Uma garantia é deixada, em última análise, por Bruchard: "Terá sempre o cuidado... de dar tudo e jogar ao mais alto nível. É esse o seu grande objetivo: ajudar o Sporting a atingir o sucesso que merece."