Frederico Varandas oficializou candidatura e falou em "teorias da carochinha"

Frederico Varandas oficializou candidatura e falou em "teorias da carochinha"
Rui Miguel Gomes

Tópicos

Médico, ex-diretor clínico dos leões, é o primeiro a entregar documentação necessária em Alvalade

Frederico Varandas entregou, esta terça-feira em Alvalade, as assinaturas e documentação necessária para formalizar a candidatura à presidencia do Sporting.

O médico, que foi recebido por Jaime Marta Soares, destacou que está como espera sempre estar, à frente dos outros. "Fui o primeiro a dar a cara, o único antes da Assembleia destitutiva, fomos os primeiros a apresentar a equipa e sou o primeiro a oficializar. Sempre estivemos um passo à frente e é assim que queremos chegar ao fim, sempre um passo à frente. Este é o consumar de um projeto e de uma equipa muito sólida, que vem servir o Sporting, não se vai servir do Sporting. Esta equipa não precisa nada do Sporting. É uma quipa muito boa que tenho o previlégio de ter conseguido reunir para por o Sporting a vencer."

A entrega da lista acontece menos de 24 horas depois de surgir mais uma candidatura, de José Maria Ricciardi, algo que Varandas recebe com naturalidade. "Reação à candidatura? É igual à dos outros. Sei que há uma minoria que gostaria que eu dissesse que o Sporting vai perder a maioriia do capital da SAD e desinvestir nas modalidades, há uma minoria que disse que Ricciardi e outras pessoas estavam por trás da minha candidatura e agora, afinal, estão é contra mim, "estão a ver?"... Essas teorias conspirativas da carochinha já nenhum sportinguista engole isso. Estamos para ganhar, outros candidatos acreditam nos seus projetos. Temos candidatura muito forte. O meu projeto e a minha equipa fala por nós. Quero um Sporting forte, com maioria na SAD, a continuar a vencer nas modalidades e a passar a vencer no futebol. Candidaturas sem qualidade? É a opinião de Ricciardi. Conheçi-o há cerca de três anos, por intermédio de Bruno de Carvalho, na qualidade de médico. Nunca mais falei com ele. Não sei qual o projeto. Ele acha que consegue fazer melhor. É a visão dele. Tenho-me preocupado não só em falar, mas ouvir. Temos percorrido os núcleos, ouvir os sócios, necessidades preocupações. A ouvir aprende-se muito.
Pessoas confiam na seriedade, na competência e paixão desta equipa. A minha equipa não dá hipóteses a nenhuma outra."