"Estamos a pensar no futuro do futebol português"

"Estamos a pensar no futuro do futebol português"

Presidente dos leões sublinhou, no final do Conselho de Presidentes, que o importante é o "interesse comum de todos os clubes"

O presidente do Sporting, acompanhado por Rui Alves, Júlio Mendes, António da Silva Campos, José Eduardo Simões e Carlos Pereira, presidentes do Nacional, V. Guimarães, Rio Ave, Académica e Marítimo,respetivamente, abordou no final do Conselho de Presidentes o que motivou a suspensão da reunião que contou com 29 clubes dos campeonatos profissionais.

"Aquilo que tentámos e que é o interesse comum de todos os clubes é arranjar soluções e pensarmos no futuro do futebol português. E nisso estamos todos de acordo e convencidos que podemos, nós clubes, arranjar soluções", começou por dizer, destacando, tal como fizera o homólogo do FC Porto, a reunião acertada entre os clubes para a próxima semana.

"Todos os clubes estão do lado de fazer mais e melhor. E é para isso que numa oportunidade breve vamos reunir", prosseguiu.

Para Bruno de Carvalho, o sucesso ou insucesso do modelo da Liga não é a principal questão, repetindo que os clubes querem "mais e melhor".

"Não é a questão de o modelo da Liga estar falido ou não estar. Nós queremos sempre o melhor e mais. Felizmente os clubes têm poder suficiente para analisar as suas forças. Vamos com certeza absoluta fazer essa alteração", rematou.

Sobre a continuidade de Mário Figueiredo, o presidente dos leões preferiu não comentar. "Não é o tema de hoje. Temos a certeza absoluta que os clubes vão continuar e é isso que nos move", afirmou.

Em relação às declarações de Pinto da Costa, que disse que dos três grandes há dois que estão juntos e que um deles não é o FC Porto, Bruno de Carvalho sublinhou apenas que "os 33 clubes têm vontade de alterar o futebol português e isso é que importa".