"É inconcebível voltar logo com dois jogos, será sempre por obrigação"

"É inconcebível voltar logo com dois jogos, será sempre por obrigação"
Rafael Toucedo

Tópicos

Francisco Tavares, responsável pela Unidade de Performance do Sporting, aconselha o agendamento de um período preparatório extenso, pela saúde dos atletas.

Francisco Tavares, responsável da Unidade de Performance do Sporting, abordou, em conversa por videoconferência com o nosso jornal e outros media que solicitaram esclarecimento, a planificação que está a ser levada a cabo para um eventual regresso à competição, ainda sem data em perspetiva. Os vários cenários para um eventual aumento do risco de lesão foram, assim, temática dominante e o especialista leonino defende que a Liga, quando tomar uma decisão, não pode colocar o calendário à frente da saúde dos atletas, insistindo na necessidade de se reservar um período preparatório.

NÃO SAIA DE CASA, LEIA O JOGO NO E-PAPER. CUIDE DE SI, CUIDE DE TODOS

"Os atletas estão expostos a um período onde as cargas de treino inevitavelmente diminuem, onde o modo de prática também difere do habitual, existe um fator de risco acrescido para a competição. Demoramos a ter os atletas aptos a competir duas vezes por semana. Será sempre por obrigação, não consigo prever um cenário desses em que após três semanas parados se regresse com uma semana de preparação e logo a seguir com dois jogos, não acho que seja concebível. Com dois jogos por semana estaremos a por as necessidades de calendário à frente do bem-estar e potenciar o risco de lesões", afirmou, sendo que a posição do Sporting é, oficiosamente, de que se opõe a uma calendarização tão apertada, aceitando contudo que se jogue com interregno de três dias efetivos de descanso entre partidas.

"É prudente alertar para a necessidade de um período preparatório. Trabalhar em casa não é suficiente. É inevitável o decréscimo do estado de forma. Os atletas precisam de um período de readaptação. É necessário prática e treino, que dependerá do número de semanas de atividade alterada. Se falarmos em quatro ou cinco semanas parados, serão necessárias cinco semanas de preparação para que se consiga voltar com nível alto e sem risco. Certo é que a fisiologia é o que é e ninguém consegue dar a volta", concluiu.

Variações na condição física

Francisco Tavares não é o responsável direto pela monitorização das cargas dos jogadores e a medição das alterações fisiológicas, mas está a par desta tarefa e assume que cada jogador tem as suas particularidades, pelo que algum poderá chegar em pior forma no ansiado regresso à normalidade. A nutrição é outro elemento a ter em conta.

"Não podemos garantir que cheguem todos ao mesmo nível. Vamos ter de jogar pelo seguro e ir progredindo semana após semana. O nutricionista [João Lopes] conhece bem os jogadores e teve uma abordagem individual com os que precisam de um cuidado mais minucioso", comentou.

O clube monitoriza (com aplicação de "food tracking" e controlo de peso) e intervém nas escolhas alimentares de forma a manter os índices de composição corporal adequados, para promover a manutenção de massa muscular e prevenir o ganho de massa gorda. Esta vertente é desenvolvida em parceria com o parceiro de Nutrição desportiva (Prozis) e o clube tem até refeições pré-confeccionadas que envia a casa se for necessário. São ainda feitas recomendações para hidratação, exposição solar, alimentos a evitar, entre outras coisas.