Caso Luan: os pontos em que o Sporting sustenta a argumentação

Caso Luan: os pontos em que o Sporting sustenta a argumentação
Bruno Fernandes/Mário Duarte

Tópicos

Sporting considera que o jogador se encontrava suspenso preventiva e automaticamente após expulsão com o Loures no Campeonato de Portugal. Regulamentos da FPF são ambíguos.

O Sporting foi derrotado na passada quinta-feira pelo Alverca, na terceira eliminatória da Taça de Portugal - a primeira em que os leões participaram -, mas não se dá por vencido. Ao que O JOGO apurou, o departamento jurídico do emblema de Alvalade fez seguir para o Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) uma participação relativa à utilização de Luan pelo clube ribatejano no embate dos leões. Em causa, está uma alegada irregularidade, prendendo-se com a expulsão do médio que sentenciou a partida com os leões, ao marcar o 2-0 com que o Alverca venceu a equipa de Silas, no jogo anterior dos ribatejanos, com o Loures, para o Campeonato de Portugal.

É entendimento dos responsáveis leoninos que o jogador se encontrava suspenso preventiva e automaticamente, ao abrigo do número 10 do Artigo 37.º que, tal como já explicáramos na nossa edição de ontem, prevê que a suspensão decorrente de expulsão terá lugar de forma efetiva e automática em todos os jogos oficiais. Também como já esclarecemos, o número 11 remete para o Artigo 40.º que a suspensão só será de forma efetiva na mesma forma em que se verificou, ou seja, no Campeonato de Portugal, no caso. Desta forma, depois do embate em campo, que foi favorável aos ribatejanos, com repercussões para os de Alvalade, que se viram afastados da Taça de Portugal, depois de a conquistarem na época passada, diante do FC Porto, perspetiva-se o esgrimir de argumentos nos "tribunais" federativos. O Sporting vai escudar-se no Artigo 37.º que estipula que Luan deveria ter cumprido castigo no jogo da Taça de Portugal; o Alverca alegará o previsto no Artigo 40.º que determina que a suspensão terá de ser cumprida na prova em que a expulsão que a suscitou, ou seja, no Campeonato de Portugal.

O JOGO apurou ainda que há outro ponto em que os juristas do emblema de Alvalade sustenta a sua argumentação. Este prende-se com o facto de se desconhecer se a suspensão será em termos de período de tempo ou número de jogos. Ou seja, mesmo não se sabendo por quantos jogos, ou quantos dias, Luan estará suspenso, os leões alegam que, em qualquer das circunstâncias, o jogador encontra-se impedido de competir de forma preventiva e automática, pelo que terá defrontado o Sporting no que consideram ser uma irregularidade.