Caso em que Pinto da Costa acusa Varandas de ofensas à honra vai a julgamento

Caso em que Pinto da Costa acusa Varandas de ofensas à honra vai a julgamento

"Um bandido será sempre um bandido", disse o presidente do Sporting em outubro de 2020.

O caso em que Pinto da Costa acusa Frederico Varandas de difamação e ofensas à honra vai seguir para julgamento, apurou O JOGO, segundo decisão instrutória do Tribunal Judicial da Comarca do Porto. Em causa estão as palavras do presidente do Sporting no dia 23 de outubro de 2020, referindo-se então ao líder dos dragões como "um bandido".

"Falando para todos os sócios do Sporting, sei que eles merecem há décadas ouvir isto. Todos os portugueses merecem que isto seja dito: pode ter um grande sentido de humor, ser culturalmente acima da média, ter um currículo cheio de vitórias, mas um bandido será sempre um bandido. No final será sempre recordado como bandido. No dia em que se retirar, ou for obrigado a isso, prestará um grande serviço ao futebol português", afirmou na altura Varandas aos jornalistas, antes da partida para os Açores, onde o Sporting iria medir forças com o Santa Clara.

Varandas, em sua defesa, alegou que as afirmações acima reproduzidas foram feitas como resposta ao que Pinto da Costa tinha dito três dias antes no Porto Canal, considerando que o presidente do clube de Alvalade beneficiou com o ataque a Alcochete. "Temos de compreender as pessoas conforme o momento que estão a viver e o seu passado dentro do próprio clube. Houve a invasão de Alcochete, dia negro do futebol português, em que o único beneficiado desse triste acontecimento foi o atual presidente do Sporting", afirmou.