Bruno de Carvalho explica saída de Marco Silva

Bruno de Carvalho explica saída de Marco Silva

Em comunicado, o presidente do Sporting garantiu que a opção de rescindir contrato por justa causa foi motivada por episódios de "falta de respeito" do técnico para o clube

Na sua primeira reação oficial após a rescisão do contrato de Marco Silva por justa causa, Bruno de Carvalho explicou que essa decisão foi motivada por diversos episódios de "falta de respeito" do técnico para com o clube.

"Como todos saberão, decidiu a Administração da Sporting SAD, por unanimidade, esgotada a tentativa de chegar a um acordo com o treinador Marco Silva, instaurar um processo disciplinar com vista ao seu despedimento com justa causa não por consequência da falta de acordo, mas pelo número significativo de ocorrências que tiveram lugar e que, a nosso ver, causaram uma rutura de relacionamento com o treinador do Clube. Ao trabalhar com Marco Silva, vi-me involuntariamente envolvido num conjunto de episódios em que este demonstrou, no nosso entendimento, falta de respeito para com o clube e para com a estrutura que com ele trabalhava", afirmou o presidente dos leões na sua conta de Facebook, garantindo que a gota de água ocorreu na passada quarta-feira.

"O último episódio foi, após ter sido convocado para uma reunião com o seu Presidente na passada 4ª-feira, ter dado a informação de que não podia reunir nessa data porque estaria presente numa ação de renovação da licença 'UEFA Pro', a decorrer em Fátima. Situação que se veio a verificar não correspondia à verdade, com a agravante de ao mesmo tempo - e como tantas vezes aconteceu - ter sido passada para os jornais a informação de que era o treinador que estava à espera para ser recebido", explicou Bruno de Carvalho, garantindo que não tomou a decisão de afastar Marco Silva mais cedo para não comprometer os objetivos do clube.

[destaque:4609365]

A finalizar, o presidente do Sporting atirou uma bicada ao rival Benfica por entre elogios ao trabalho do treinador. "Marco Silva não será apagado nem da nossa História nem das fotografias do nosso Clube e em ambas, ficará registado como o treinador que venceu a Taça de Portugal 2014/2015, contribuindo desse modo, para terminar com um ciclo de sete anos sem vitórias nas competições principais", rematou, lembrando o episódio em que a imagem de Jorge Jesus foi retirada do cartaz oficial do bicampeonato, no Estádio da Luz.