Amorim: "Sente-se um bocadinho o ambiente, temos de ser nós a empolgar o público"

Rúben Amorim

 foto Filipe Amorim / Global Imagens

Declarações de Rúben Amorim, treinador do Sporting, após o triunfo sobre o Gil Vicente (3-1), na 8.ª jornada da Liga

Análise: "Foi um jogo bastante competente da nossa equipa que poderia ser complicado se não tivéssemos marcado ainda na primeira parte. Sente-se um bocadinho o ambiente do estádio, o que é normal, temos de ser nós a voltar a empolgar os adeptos. Criámos várias oportunidades e não deixámos o Gil criar muitas, talvez com algumas roturas do Navarro, mas devíamos ter feito mais golos e não sofrer no fim. Há um resalto e sobra para o Navarro para finalizar. Mas é uma vitória justa que quanto a mim podia ter sido mais dilatada."

Nervoso na segunda parte: "Obviamente, não é nervoso, mas é de transmitir que nada estava controlado, que podia mudar, pela situação na tabela não deixar os jogadores relaxarem."

Exibições de Marsà e Morita: "O Marsà já tinha jogado na pré-época, é da escola do Barcelona, é muito forte com bola. Tem alguns defeitos porque não tem tanto jogo na parte defensiva, mas é um jogador inteligente. O Morita é humilde, fez grande jogo, é jogador de seleção e vai continuar a crescer."

Voltar às vitórias: "Importante é saber que numa equipa grande basta um jogo para mudar tudo. Perdemos um nos últimos jogos, se os golos fossem repartidos teríamos mais uma vitória e estaríamos numa sequência de seis vitórias. Não vale a pena entrar na mesma conversa de entrar numa série de vitórias, temos é de pensar no próximo jogo."