"Num dia passei de titular e capitão a dispensado e proibido de treinar"

João Pereira é agora adjunto dos sub-23 do Sporting

 foto Reprodução/Twitter do Sporting

João Pereira recorda a chegada ao Sporting na última época e lamenta não ter alcançado mais títulos de leão ao peito.

Depois de se ter sagrado campeão pelo Sporting na temporada passada, João Pereira abraçou o primeiro desafio como treinador, desempenhando o cargo de adjunto na formação sub-23 dos leões. Numa entrevista publicada pelo jornal leonino, o antigo lateral internacional português não escondeu o encanto que foi erguer o troféu de campeão, mas admitiu que queria mais ao longo das três passagens por Alvalade.

"Passei cá três vezes e, infelizmente, só tinha uma Supertaça. Nunca tinha correspondido com títulos ao que o Sporting me proporcionou: ir à Seleção e disputar a que para mim é a melhor liga do mundo, a espanhola; e foi o clube que me deu a mão quando rescindi. Retribui dentro de campo e dei sempre o melhor de mim, mas espremido só havia um título e isso deixava-me muito triste", considerou. "Só dois títulos pelo Sporting é uma das mágoas da minha carreira", atirou.

João Pereira voltou a Alvalade no último mercado de inverno, depois de terminada a ligação com o Trabzonspor, da Turquia. "Não estava nos meus planos dizer adeus no Sporting. Nunca pensei que me quisessem aos 36 anos, quase a fazer 37 - e já cá estava o Porro! Claro que gostava, mas tinha de ser racional; imaginava-me a acabar no Trabzonspor", lembrou, lamentando: "A vida deu uma volta de 180 graus e num dia passei de titular e capitão a dispensado e proibido de treinar nas instalações do clube pelo treinador."

"Rescindi, estava sem clube e queria voltar a Portugal, mas longe de pensar no Sporting", reconheceu João Pereira, que acabaria por fazer cinco jogos de leão ao peito na segunda metade de 2020/21.