Jogador do Chaves aliciado para deixar Bas Dost marcar em jogos com o Sporting

Bas Dost

 foto Fábio Poço / Global Imagens

Revelação está no acórdão da decisão instrutória do processo Cashball

A decisão instrutória do processo Cashball revela que Gonçalo Rodrigues, que a aquando dos factos trabalhava no gabinete de apoio ao jogador do Sporting, tentou corromper o defesa do Chaves, Leandro Freire, para que este facilitasse na marcação a Bas Dost, aquando de dois jogos consecutivos entre as equipas leonina e flaviense, na temporada de 2016/17.

O mesmo documento revela que o então jogador do Chaves, recusou a proposta que lhe foi feita. Recorde-se que no primeiro desses jogos, a contar para a 17ª jornada da I Liga, o avançado bisou e evitou a derrota do Sporting, tendo ficado em branco, dias depois, na partida da Taça de Portugal.

Segundo revela o semanário Expresso, esta sexta-feira, a oferta para o primeiro jogo era no valor de 25 mil euros e de metade desse valor para a segunda partida. Na mesma notícia, é revelado que João Gonçalves, Gonçalo Rodrigues e Paulo Silva - acusados do crime de corrupção ativa neste processo - engendraram "um plano segundo o qual intercederiam junto de jogadores de futebol de outros clubes para que jogassem de modo a favorecer a Sporting, SAD nos jogos que com ela disputassem, prejudicando as suas próprias equipas, a troco de quantia em dinheiro".