Champions vale 30 milhões ao Sporting: FC Porto e Benfica podem receber mais 10 M€

Sporting já garantiu entrada direta na fase de grupos da Champions

 foto Pedro Correia/Global Imagens

Coeficiente leonino nos últimos 10 anos de provas da UEFA atira o clube para um patamar de encaixe fixo inferior aos rivais FC Porto e Benfica na ordem dos 10 milhões de euros.

A conquista do título de campeão nacional está à distância de dois pontos - podem nem ser precisos desde que o FC Porto não vença um dos seus jogos -, mas a entrada na fase de grupos da Liga dos Campeões da próxima temporada é uma certeza que representa cerca de 29 milhões de euros (M€) à cabeça, isto independentemente do que a equipa possa alcançar em termos desportivos durante a competição.

As contas são as possíveis de fazer quando ainda não estão concluídos os principais campeonatos nacionais, nem tão pouco estão definidas as equipas que vão entrar no quadro de 32 participantes provenientes das pré-eliminatórias de acesso - ao que tudo indica, no caso português, será o caminho a fazer pelo Benfica -, ou o vencedor da Liga Europa, que se for o Villarreal conseguirá entrar na prova diretamente sem ser pela Liga.

No entanto, O JOGO, explica-lhe as vicissitudes dos cálculos com base no cenário ao dia de hoje, atendendo a pequenas flutuações que podem existir, sem que as mesmas afetem substancialmente o posicionamento do Sporting na distribuição de receitas, que podem passar até a barreira dos 30 M€. Senão vejamos.

A distribuição dos 585 M€ destinados pela UEFA para os participantes na referida fase da prova é feita de acordo com um coeficiente de pontos dos últimos 10 anos, com base nos resultados desportivos registados, assim como uma variável de pontos em função dos títulos europeus conquistados. Essa ordenação, que é independente do ranking de cada equipa nos últimos cinco anos na UEFA e define de um modo geral o estatuto de cabeça de série, atira o Sporting para um posicionamento próximo do 20.º lugar, sendo multiplicado essa ordenação invertida por 1,108 M€ para se estipular o montante exato que as equipas recebem, o que no caso dos leões perspetiva-se que não seja muito diferente dos 13,3 M€, aos quais se juntam os 15,25 M€ fixos para todas as formações.

Por exemplo, se o Lille for campeão francês, mesmo sendo cabeça de série no sorteio - tal como o Sporting -, a receita base será provavelmente perto dos 15,5 M€. Assim se explica também o porquê de os rivais internos, FC Porto e Benfica, em caso de entrada na fase de grupos da prova, poderem receber perto de mais 10 M€ que os leões, como se pode ver no quadro, já que ficam muito próximos dos 10 clubes que mais recebem nesta componente fixa. Além disso, ainda acresce uma percentagem das receitas televisivas, denominadas de market-pool, em que a UEFA distribui um total de 292 M€ pelos 32 clubes, em função do valor proporcional dos países, sendo que se forem três os clubes lusos participantes, o que melhor desempenho tiver receberá 40% e os outros dois 30%.