Amorim: "O Nuno disse qualquer coisa ao público, tem de aguentar"

Amorim: "O Nuno disse qualquer coisa ao público, tem de aguentar"

Declarações de Rúben Amorim no final do triunfo por 2-0 em Vizela, para a ronda 18 do campeonato.

O jogo: "Os primeiros dez minutos foram confusos. Perdemos segundas bolas, levámos com bolas nas costas. Estávamos a baixar demasiado. Acertámos a pressão e a marcação e controlámos. Os golos surgiram naturalmente. Podíamos ter sido mais agressivos, chegámos à linha lateral com Nuno e Esgaio, mas devíamos ter feito o terceiro e matar o jogo. Mas controlámos."

Daniel Bragança titular: "Tem a ver com as características do jogo. Ele é forte no espaço reduzido, o Vizela fecha bem a zona interior, o Matheus [Nunes] precisa de mais espaço, vinha de dois jogos seguidos e precisamos de todos preparados."

Concentração: "Uma equipa tem de sofrer poucos golos. Foram um exemplo na concentração e na intensidade. Tivemos alguma displicência nos nossos centrais nesta segunda parte. Fora isso, sempre concentrados."

Confusão no final do jogo: "Estes minutos eram escusados. O Nuno [Santos] disse qualquer coisa ao público, tem de aguentar. Há uma equipa a defender o jogador, que pelos vistos não teve razão. São escusados, há que evitar e temos todos a culpa."

Futuro: "FC Porto, Benfica e Braga são muito fortes. Se baixarmos o nosso nível, podemos perder pontos em qualquer campo. Temos de controlar isso, ainda não somos equipa para deixar andar. Temos é de vencer o máximo de jogos possíveis e não pensar muito nas contas."