Rúben Amorim menospreza duas ausências no Benfica-Sporting: "Copo meio cheio..."

Rúben Amorim menospreza duas ausências no Benfica-Sporting: "Copo meio cheio..."

Declarações do treinador do Sporting, proferidas esta quinta-feira, em projeção ao dérbi contra o Benfica, relativo à 13.ª jornada da Liga Bwin, no Estádio da Luz

Consequências das ausências: "As nossas rotinas são fortes e vincadas. Terá mais impacto numa equipa diferente. As rotinas estão lá, mas muda alguma coisa, em função das ausências. O Dani leva o jogo mais para a frente, atira-se ao jogo e não se sabe controlar muito, ou se joga o Ugarte, que tem mais capacidade de posse. Se jogar o Neto ou o Inácio, muda. Esses pormenores fazem diferença, mas não haverá grande surpresa. Já tivemos jogos sem Coates e Palhinha em que ganhámos. Teremos a mesma responsabilidade e olhamos para o copo meio cheio. Não há melhor do que estes jogos para pôr à prova outros jogadores."

Ponderar mudar o sistema: "Não pensamos em mudar o sistema para este jogo, pensamos em fazer, um dia, essa alteração, mas é preciso treino. Só vão mudar os jogadores. O grande senão é se precisamos de um segundo avançado para o jogo de cabeça. Não o temos. É a grande falha que me ocorre. O substituto do Coates estará preparado. Temos saldo positivo sem ele e sem Palhinha."

Expectativa para o dérbi: "É um jogo contra uma grande equipa, que tem um treinador muito experiente, com muitas soluções, forte nas segundas bolas, entre linhas. Podem mudar a frente de ataque, com a mudança posicional de Rafa e Everton. O Weigl melhorou muito, uma defesa que não sofre muitos golos e com um guarda-redes que está a fazer uma grande temporada. É uma grande equipa, assim como a nossa. Também temos valor, conhecemos o adversário e queremos claramente ganhar."

Quem faz mais falta: Coates ou Palhinha?: "Todos fazem falta. Não vamos esconder que, pelos minutos e características, são jogadores difíceis de substituir. Temos outros com muito valor. Se o Palhinha cobre muito espaço, os dois que vão jogar tem que cobrir espaço extra. O Coates é muito agressivo nas bolas paradas, tem um papel dentro da equipa... Temos que evitar cruzamentos, bolas paradas e levar o jogo de acordo com as características dos que vão jogar. Todos vão ter que liderar a a equipa."

Testes obrigatórios à covid-19: "Temos que nos habituar a viver com isto. O Coates não tem qualquer sintoma. É o mais importante para nós. A vacina funciona. Não impede de ter a doença, mas impede sintomas graves. Haverá uma fase em que será mais uma gripe. Se tivermos que fazer testes, haverá mais oportunidades para outros e mais motivação."