Amorim já não fala de estrelinha do Sporting: "Uma, duas vezes..."

Amorim já não fala de estrelinha do Sporting: "Uma, duas vezes..."

Declarações de Rúben Amorim, treinador do Sporting, depois da vitória por 2-1 sobre o Santa Clara.

Análise ao jogo: "O jogo começou com um sentimento de alguma passividade do Sporting, um canto, outro a seguir, não foi o melhor dos nossos dias. Umas vezes jogamos bem, noutras mal, mas tivemos alguma passividade em certos momentos. A reação ao golo provou isso mesmo, porque depois acelerámos o jogo, ao sentirmo-nos apertados. Estes jogos sempre a vencer, sem perder, dá-nos isto. Fizemos um golo na primeira oportunidade e depois deixámos passar o tempo. Porque as vitórias trazem isso e nós não estamos preparados, temos que melhorar. Depois foi a reação. O coração não tem nada a ver com a técnica, com a tática e apareceu hoje outra vez."

Estrelinha? "É o acreditar. Uma vez muito bem, duas vezes... viu-se pela forma da equipa reagir ao golo do Santa Clara. O acreditar sempre. Jogámos poucos minutinhos, mas jogámos."

Treinador completa 22 jogos sem perder no campeonato: "Sinceramente, só quero ganhar ao Tondela. Os jogos estão tão difíceis, o que interesse é ganhar ao Tondela. Trocava esse facto pela vitória [n.d.r na próxima jornada]."

Uma das exibições menos conseguidas? "Sim, sem dúvida, sabemos do grupo que temos, da juventude que temos, equipa ansiosa, passiva, temos que melhorar, treinador também tem que ajudar a passar estes momentos. Mesmo assim fomos coesos defensivamente, sofremos um golo ali de ressalto, mas depois começámos a jogar e conseguimos chegar à vitória."

Alterações: "Procurava bola. O Daniel dá-nos isso, o Matheus Reis, e o Nuno Mendes não estava bem e tínhamos que mudar alguma coisa. Faz parte do crescimento dele, são juniores e percebia-se que precisávamos ali de outro jogador. O Matheus está preparado, foi um grande reforço, o Daniel é bola, merece jogar mais, culpa é do treinador aí. Ele dá-nos mais bola e depois entrou também o Nuno santos a dar essa profundidade. Depois o Jovane foi para meter gente na frente."