Amorim garante que só sai pela cláusula e diz: "Sou menos ingénuo do que era há três anos"

Amorim garante que só sai pela cláusula e diz: "Sou menos ingénuo do que era há três anos"

Declarações de Rúben Amorim, treinador leonino, após o Sporting-Farense (6-0), partida relativa à primeira jornada do Grupo B da Taça da Liga.

Mais importante marcar seis golos ou não sofrer? "É muito importante não sofrer golos, mas também é importante melhorarmos a nossa eficácia. Mesmo assim, tivemos ocasiões claras de golo em que podíamos ter sido melhores. Não deixamos o Farense criar grandes oportunidades e marcamos seis golos e não é normal na nossa equipa, é bom sinal numa competição em que os golos são importantes e acabou por correr tudo bem."

Paulinho marcou dois golos: "Já estava a viver um bom momento, não estava a marcar mas estava mais solto com a bola e mais forte no primeiro toque, já nos últimos jogos do campeonato tem trabalhado muito bem e depois as coisas aparecem. Quando se está mais limpo de cabeça e se continua a trabalhar muito bem da mesma forma, quando se cuida do corpo e percebe-se o que se tem de melhorar ou não... O Paulinho tem sido um exemplo nisso, mas da mesma forma que disse que o Paulinho mesmo não fazendo uma grande exibição ajudou a equipa, digo o contrário. Fez uma grande exibição mas ainda pode fazer melhor e e pode aproveitar ainda mais as oportunidades. Tem de continuar a trabalhar."

Prenda de renovação? "É uma vitória, jogamos contra uma equipa de um segundo escalão que é sempre perigoso e já fomos eliminados de uma taça por uma equipa de terceiro escalão, mas é um resultado normal. Aproveitamos bem as ocasiões e, quanto a mim, sinto uma grande responsabilidade mesmo renovando, sinal de confiança de toda a gente, apesar de ser três anos, sei que tenho de lutar pela vida. Não muda nada, temos uma ideia, um projeto e todos querem remar para o mesmo lado. É um resultado normal, para a semana já temos um jogo para fazer pela vida e continuar o projeto. Foi um bom momento. Ontem a renovação, hoje uma vitória, mas daqui a duas horas já me esqueci disso e há grande responsabilidade sobre nós e temos de vencer o próximo jogo."

Essugo saiu ao intervalo: "Foi o cartão amarelo, os jogadores que estão naquela posição e, quando metemos muita gente, temos de parar as transições e há jogadores que sinto que conseguem gerir melhor essa parte. Já aconteceu várias vezes o Palhinha ter de sair porque fica limitado e Dário é esse tipo de jogador. Quando apanhou o amarelo, desencontrou-se no timing do passe com o Inácio. Sinto uma grande evolução e terá mais oportunidades."

Médios Essugo e Mateus. Algum para emprestar? "A ideia não passa por um empréstimo, temos a segunda equipa. Como vimos o ano passado com o Quaresma e este ano com o Esteves, temos de pensar muito nos empréstimos. Tem uma época e meia, não fez a época toda na equipa B, o Dário Essugo... Temos de ter jogadores que na equipa B possam contribuir, esse pensamento tem de ser mais no fim do ano, porque não temos todos os jogadores. O Daniel Bragança só volta para o ano, se ele estivesse a jogar era diferente, depois o Morita e Ugarte, no Mundial, o Pote pode jogar ali, mas na frente marca mais golos. Não vou dizer que não pode acontecer o empréstimo, mas a ideia é pensar no fim do ano."

Pode dar alguns pormenores do contrato... "Os pormenores do contrato são uma coisa particular, não vou estar a dar justificação nesse aspeto. É meu e ninguém precisa de saber, a renovação foi feita. Os jogos é que ditam, o interesse de fora sempre houve. Se tiver de sair será de sair pela cláusula ou para casa. São as maneiras, gosto de estar aqui, sei que estou a gastar alguns créditos desta fase má, acredito que podemos fazer melhor pelo clube, há coisas que ainda a fazer, gosto de estar cá... Estou para aqui para a luta. Sei que vai muito difícil, daqui uns tempos os lugares de Champions vão diminuir. Sou menos ingénuo do que era há três anos, estou aqui gosto de estar cá, mas sei que os resultados é que ditam, se tiver de sair alguém vai ter de pagar a cláusula. É bom que apareça, ou vou para casa, ou têm de pagar a cláusula. Acabamos com a conversa sobre se ia renovar. Estamos todos de pedra e cal a olhar para o futuro do Sporting."