Rúben Amorim: "Estou mais frustrado hoje do que com o Ajax"

Rúben Amorim: "Estou mais frustrado hoje do que com o Ajax"

Declarações do treinador do Sporting em reação à derrota frente ao Dortmund, em jogo da segunda jornada do grupo C da Liga dos Campeões, esta terça-feira

Elogios e um reparo: "Podíamos ter sido melhores nas bolas paradas. Controlámos bem os movimentos dos avançados adversários, tirámos alguns foras de jogo, fomos eficazes na linha defensiva, mas fizemos menos pressão na frente do que o habitual."

Frustração: "Quero a minha equipa madura ao longo da competição. Ela cresce a olhos vistos. Este jogo não retira mais ou menos confiança na equipa, acima de tudo mostra aos jogadores que são capazes de fazer melhor, de competir. Eu não tinha dúvidas. Estou mais frustrado hoje do que com o Ajax, hoje senti que nos faltou qualquer coisa. A frustração não é com os jogadores, é olhar para o momento enquanto clube e ver que temos muito para fazer. Isso requer anos.(...) Quero que os jogadores sintam que ganharam e que melhoraram num jogo o que melhorariam em cinco."

Tiago Tomás e a proteção a Rúben Vinagre: "A inclusão do Tiago foi porque é um jogador muito forte a disparar quando defendemos em baixo. O Nuno Santos acabou mais cansado o último jogo. É vertical e agressivo, e estava fresco. O Matheus Reis foi porque é um jogador estável. Protegemos a equipa e o Rúben Vinagre."

Adversário estudado: Tivemos muita atenção ao que o Dortmund fazia, tivemos mais atenção à saída para a pressão. Segurámos bem o jogo. (...) Os jogadores estiveram mais juntos, o treinador ajudou-os mais. Contra o Ajax, sofremos dois golos aos oito minutos. Perdemos o Inácio no primeiro jogo e não tínhamos o Coates. Desta vez, tivemos uma linha defensiva que fez muitos jogos o ano passado, as linhas estavam mais juntas. Crescemos com os jogos".