"A oferta por Tanlongo foi uma burla e uma falta de respeito"

"A oferta por Tanlongo foi uma burla e uma falta de respeito"
Federico del Rio

Tópicos

Ricardo Carloni, presidente do Rosario Central, falou em conferência de Imprensa sobre o caso de Tanlongo e aponta a "falta de ética" dos leões. Confirmou o corte de relações com os leões


O Rosario Central prestou uma conferência de Imprensa para explicar o futuro de Mateo Tanlongo, que como O JOGO escreveu, será no Sporting. O presidente, Ricardo Carloni, assume o corte de relações com os leões.

"O Central corta relações com o Sporting, que não procedeu de forma ética sabendo de toda a situação. Disse-nos que sabia da situação e ofereceram-nos 590 mil dólares [perto de 570 mil euros], dos quais 300 [288 mil euros] por objetivos a cumprir. Portanto, o Rosario Central receberia menos de 200 mi dólares [192 mil euros] por um jogador que foi às seleções jovens da Argentina. A oferta foi uma burla e uma falta de respeito", atirou Carloni.

O líder do clube insurgiu-se ainda contra os empresários que fizeram a transferência: "Há uma total falta de ética da agência Stellar Group. As pessoas do clube estão muito desiludidas pela falta de palavra do pai, que à minha frente disse que estava disposto a aceitar a renovação."

"A oferta aproximava-se do meio milhão de euros, mais objetivos, algo que estava muito longe do que pretendíamos. Era uma oferta irrisória, não respeitava os pedidos que tínhamos feito", acrescentou Guillermo Hanono, secretário do clube.