"Foi a minha educação. Não sou egoísta e é um dever ético e moral ajudar"

"Foi a minha educação. Não sou egoísta e é um dever ético e moral ajudar"
Bruno Fernandes

Tópicos

Francisco Geraldes, que completa este sábado 25 anos, em conversa no Instagram com a Carolina Mendes, jogadora que está a ajudar a Comunidade Vida e Paz. Médio do Sporting leiloou uma camisola, com o número 17, que rendeu 300 euros por uma boa causa.

Grécia: "Quando os fatores chave não funcionam, não há como continuar. Eu fui com o Miguel Cardoso para o AEK, porque ele foi meu treinador do Rio Ave. Ele foi despedido na primeira jornada e eu tinha um empréstimo sem opção de compra... O futebol grego é muito anárquico. É uma liga periférica, não faz parte do topo, das mais importantes. Mas o AEK é um bom clube, ainda que tenha sentido que o campeonato seja controlado pelo PAOK e pelo Olympiacos".

Ídolos: "O meu jogador preferido de sempre é o Zidane. Sempre foi uma grande influência. Via muitos, muitos vídeos para tentar reproduzir o que ele fazia. Dentro do Sporting, fui vendo os jogadores lá em cima a passar, como o Liedson. O Adrien, também...".

Regresso ao Sporting: "Acho que há sempre espaço para recomeçar. Isto só acaba no fim. Se há uma oportunidade para voltar a tentar, é aproveitar. Eu nunca desisto".

Principais objetivos a curto prazo: "Acho que o meu objetivo principal é jogar o mais possível. Ainda mais no Sporting. Não gosto de fazer planos a longo prazo, porque o mais importante, sempre, é o agora".

Estava a ser opção antes da paragem: "Esta fase vem pôr um travão no que vinha a ser feito, mas não importa o que aconteceu, mas sim o presente. Se não fosse desta maneira seria de outra forma qualquer".

NÃO SAIA DE CASA, LEIA O JOGO NO E-PAPER. CUIDE DE SI, CUIDE DE TODOS

Voluntário no bairro: "Não se trata de me sentir melhor ou pior. O comportamento faz sentir-me bem, mas o principal objetivo é a obrigatoriedade de me colocar no lugar do outro. Foi a minha educação. Não sou egoísta e é um dever ético e moral ajudar quem não tem possibilidade. As pessoas mais carenciadas foram as pessoas com mais idade, mas por Instagram não conseguem fazer muitos pedidos".

Episódio nas suas viagens: "Tive uma experiência surreal. Fui sozinho para o Nicarágua e não sabia que eles estavam constantemente em guerra civil. Fui em viagem de surf, tinha uma pessoa para me receber no aeroporto que me disse para por as pranchas dentro do carro, para não dar nas vistas. Ouvi tiros ao longe e só lia: mais 10 mortos, mais 15...".