Mário Silva antes da estreia: "Não fazia sentido eu chegar aqui e querer mudar tudo"

Mário Silva antes da estreia: "Não fazia sentido eu chegar aqui e querer mudar tudo"
Redação com Lusa

Tópicos

Novo técnico do Santa Clara falou em conferência de imprensa e projetou encontro com o Tondela

O treinador do Santa Clara, Mário Silva, afirmou este sábado que vai desenvolver um trabalho de "continuidade" à frente da equipa açoriana, antes da estreia no comando técnico, frente ao Tondela, na 18.ª jornada da Liga Bwin.

Em conferência de imprensa, no estádio de São Miguel, em Ponta Delgada, o novo treinador do Santa Clara afirmou que está a desenvolver um trabalho de "continuidade", porque "não fazia sentido ser de outra forma".

"As coisas estão a correr bem e não fazia sentido eu chegar aqui e querer mudar tudo em tão curto espaço de tempo", afirmou.

E acrescentou: "Não fazia sentido, nem era inteligente da minha parte fazer as coisas de outra forma. É lógico que já coloquei algumas das coisas em que eu acredito que posso acrescentar à equipa, mas, acima de tudo, manteve-se a base e a nossa forma de trabalhar".

Na segunda-feira, Mário Silva foi apresentado como treinador do Santa Clara, tornando-se o quarto técnico a assumir o comando dos açorianos esta temporada.

"Como vocês sabem, a equipa técnica que estava, felizmente, manteve-se comigo. Foi igualmente para mim uma agradável surpresa, pelo facto de, não só serem excelentes profissionais, como pessoas que me receberam muito bem", afirmou.

Nos últimos três jogos, o Santa Clara foi orientado pelo interino Tiago Sousa (que vai continuar a fazer parte da equipa técnica), tendo somado uma derrota, com o Paços de Ferreira (2-1), e vitórias diante Vitória de Guimarães (1-0) e Sporting (3-2).

"Depois de uma vitória histórica acho que é importante, e já o transmiti aos jogadores, entrarmos com humildade e pensarmos que o que aconteceu na semana anterior foi única e exclusivamente uma excelente vitória", assinalou, referindo-se ao triunfo frente aos "leões", na última jornada.

O treinador disse "não ter nada a provar aos outros", mas salientou que pretende "agradecer a confiança" que a administração do Santa Clara depositou nele, com "trabalho, humildade e ambição".

O técnico, de 44 anos, disse ter encontrado um "grupo forte, "unido" e "muito trabalhador".

"Não me surpreendeu porque as informações que tinha eram essas mesmas, mas fiquei muito satisfeito com a forma com que diariamente [os jogadores] se aplicam no trabalho. E isso é meio caminho andando para termos sucesso", realçou.

O treinador disse que no embate com o Tondela "não são só três pontos" que estão em disputa, uma vez que um triunfo pode representar a quarta vitória consecutiva em casa e a segunda seguida no campeonato.

"Vai ser um jogo difícil. O Tondela é uma equipa muito bem organizada nos vários momentos e tem como principal arma a transição ofensiva. Temos, com as nossas armas, de contrariar isso" destacou.

O Santa Clara, 14º. Classificado, com 16 pontos, vai receber o Tondela, 13º. também com 16 pontos, no domingo, às 14h30 (15h30 em Lisboa), no estádio de São Miguel, nos Açores.