Santa Clara 2019/20: açorianos querem estabilizar-se na I Liga

Santa Clara 2019/20: açorianos querem estabilizar-se na I Liga

Garantir a permanência pelo segundo ano consecutivo é o grande objetivo para a temporada 2019/20. A SAD açoriana manteve a estrutura do ano passado e reforçou-se de forma cirúrgica no defeso.

O Santa Clara pretende garantir a segunda permanência consecutiva na I Liga, um feito que os açorianos nunca conseguiram alcançar nas anteriores quatro participações na prova e que João Henriques se propõe atingir.

Foi com base neste objetivo principal que equipa técnica e SAD construíram o grupo de trabalho para 2019/20, garantindo à partida a maioria dos elementos que fizeram parte da equipa que no ano passado conquistou a melhor classificação de sempre do clube na I Liga (10.º lugar). A SAD conseguiu segurar os homens mais influentes da equipa, caso do guarda-redes Marco, dos defesas Patrick e Fábio Cardoso, dos médios Osama Rashid e Bruno Lamas e dos avançados Ukra e Guilherme. Os sete formam a espinha dorsal de um onze com uma ideia de jogo bem definida, e o grupo foi reforçado de forma cirúrgica; finalizada a fase de preparação da nova temporada, apenas o reforço Carlos Júnior parece ter entrada direta no onze. Esta estabilidade ficou patente na pré-época sóbria e tranquila realizada pelos açorianos, que apenas perderam dois dos oito jogos disputados. A aposta na continuidade é clara.

O JÓQUER

Zaidu pronto para mostrar a qualidade à solta no Campeonato de Portugal

O defesa-central Zaidu é uma das grandes promessas no grupo de trabalho às ordens de João Henriques. Nas últimas duas temporadas singrou no Campeonato de Portugal, ao serviço do Mirandela, e apresenta como principal argumento a sua velocidade. É veloz na recuperação, é veloz na antecipação e é também veloz na execução das tarefas defensivas. A envergadura do nigeriano torna-o imponente nas alturas e ofensivamente oferece mais poder de fogo à equipa nos lances de bola parada, um dos aspetos do jogo em que o Santa Clara é muito forte. Zaidu foi um dos quatro reforços mais utilizados pelo treinador nos jogos de pré-temporada (quatro como titular e suplente utilizado nas restantes quatro partidas) e promete agarrar a titularidade na primeira oportunidade que João Henriques conceder.

PLANTEL 2019/20

Guarda-redes:

André Ferreira (Aves)
João Lopes (Santa Clara)
Marco (Santa Clara)

Defesas:

Patrick (Santa Clara, LD)
Rafael Ramos (Twente, LD)
Fábio Cardoso (Santa Clara, DC)
César (Santa Clara, DC)
João Afonso (Santa Clara, DC)
Steven Pereira (CSKA Sófia, DC)
Zaidu (Mirandela, DC)
Mamadu (Santa Clara, LE)
João Lucas (Santa Clara, LE)

Médios:

Osama Rashid (Santa Clara, MD)
Anderson (Santa Clara, MD)
Lucas Marques (Santa Clara, MD)
Francisco Ramos (Santa Clara, MD)
Pacheco (Santa Clara, MO)
Bruno Lamas (Santa Clara, MO)
Nené (Fafe, MO)
Lincoln (Grémio, MO)

Avançados:

Guilherme (Santa Clara, AV)
Thiago Santana (Santa Clara, AV)
Evouna (Santa Clara, AV)
Stephens (Santa Clara, AV)
Pablo (Santa Clara, AD)
Ukra (Santa Clara, AD)
Zé Manuel (Santa Clara, AE)
Pineda (Santa Clara, AE)
Carlos Júnior (Rio Ave, AE)

Equipa técnica:

Treinador - João Henriques
Treinador adjunto - Luís Morgado
Treinador adjunto - Alberto Carvalho
Treinador adjunto - Accioly
Treinador de GR - José Serrão

OPINIÃO (*por Rui Ferreira)

Uma espinha para fazer um banquete

Conseguir pela segunda época seguida a permanência na principal divisão portuguesa, algo inédito para o clube, é o grande objetivo do Santa Clara. A época 2019/20 começou a ser preparada muito cedo, ainda com a campanha 2018/19 em curso e João Henriques voltou a demonstrar saber bem o que quer. O primeiro passo foi assegurar a continuidade de elementos fundamentais no plantel e que por um ou outro motivo estavam de saída. Foi assim com Ukra, uma bênção para qualquer balneário que se encontre em fase depressiva, e também com Francisco Ramos, um craque sem espaço no V. Guimarães e que tanto jeito deu na segunda metade do campeonato passado. Assim, à primeira vista, serão sete os elementos da época passada que manterão os lugares no onze, com quatro novidades a acompanhá-los. João Henriques preparou-se cedo, chegou a trabalhar com 31 jogadores na pré-época e foi afinando a máquina até o "ronco" lhe agradar. Aliás, o treinador defende que o mercado, que estará aberto até final de agosto, devia encerrar com o início do campeonato, para todos os clubes estarem "em pé de igualdade". De qualquer forma, o seu plantel está fechado e promete, de novo, bons desempenhos.