Empresário de Schettine desmente Santa Clara: "Nunca falou diretamente com o Braga"

Empresário de Schettine desmente Santa Clara: "Nunca falou diretamente com o Braga"

Allan Moran garantiu que o clube arsenalista nunca abordou diretamente o avançado brasileiro, ao contrário do que alega o Santa Clara.

Um dos empresários do futebolista brasileiro Guilherme Schettine, Allan Moran, garantiu esta segunda-feira que o Braga nunca abordou diretamente o jogador, como acusa o Santa Clara.

Em resposta ao Braga, que considerou que o clube açoriano faltou à palavra dada aos representantes do jogador, o Santa Clara acusou os arsenalistas de fazer "abordagens diretas" a "atletas profissionais de outras instituições com contrato de trabalho".

"Não, o Guilherme nunca falou diretamente com o Braga, nem tinha porquê, foi sempre connosco [empresários] que o Braga falou, o Braga nunca abordou diretamente o jogador", assegurou à Lusa Allan Moran, um dos empresários do jogador brasileiro.

O Braga revelou esta segunda-feira ter desistido da contratação do avançado brasileiro, deixando críticas ao clube açoriano e, indiretamente, ao Benfica, apontando que "o futebol português transformou-se num teatro de marionetas".

Allan Moran corroborou o conteúdo do comunicado arsenalista, lamentando que quem tenha sofrido mais com tudo tenha sido o jogador.

Segundo esse comunicado, já depois de Schettine ter recusado a proposta do Benfica por entender que, desportivamente, o Braga seria a melhor opção atualmente, o clube liderado por António Salvador "reiterou o seu interesse" com uma proposta formal, "após saber pelos empresários de Schettine que havia o compromisso por parte do Santa Clara de negociar o avançado pelos mesmos valores [1,5 milhões] discutidos com o Benfica".

O Santa Clara terá respondido ao líder minhoto "que não negociaria com o Braga por ter um compromisso pessoal para colocar o jogador no Benfica e por temer represálias, remetendo para a cláusula de rescisão e assim faltando à palavra dada aos representantes do jogador", dizem os bracarenses.