Desperdício ofensivo e golo caricato

Desperdício ofensivo e golo caricato
André Veloso Gomes

Tópicos

Nuno Espírito Santo viu a equipa criar muito e concretizar pouco, num jogo para esquecer de Oblak: chutou a bola contra um adversário e o lance deu em golo.

O Rio Ave empatou (1-1) frente à equipa do Sindicato dos Jogadores, num teste onde são de realçar duas notas: o desperdício ofensivo da equipa de Nuno Espírito Santo e o golo caricato do adversário.

O Sindicato dos Jogadores adiantou-se no marcador na primeira parte, quando o guarda-redes Oblak atirou a bola contra João Pinto, num lance que parecia saído dos apanhados. O Rio Ave restabeleceu a igualdade na sequência de um livre de Braga.

Nuno Espírito Santo testou três sistemas numa partida onde o Rio Ave criou várias situações para chegar ao golo, mas pecou na finalização.