"Tem levado uns valentes cacetes desde que chegou a Portugal"

"Tem levado uns valentes cacetes desde que chegou a Portugal"

Carlos Carvalhal falou da falta de eficácia e do avançado Taremi após a derrota em Braga.

O Rio Ave saiu de Braga com uma derrota por 2-0 na jornada 12 do campeonato. Carlos Carvalhal, treinador da equipa de Vila do Conde, lamentou a falta de eficácia. "Sim, numa análise muito resumida, podemos dizer que o jogo foi a eficácia do Braga e a ineficácia do Rio Ave", disse.

"Começámos bem o jogo, fizemos o que treinámos nos primeiros 10/15 minutos, mas a partir daí perdemos referências, talvez pelo relvado, o Braga teve maior domínio, marcou numa altura em que não tinha criado grandes situações, o Kieszek foi chamado a intervir por uma vez, mas esse domínio e posse de bola justificava o resultado ao intervalo. A segunda parte foi completamente diferente do Rio Ave, mais desinibida e afoita, circulámos mais a bola, era importante ter a bola, e tivemos duas perdidas flagrantes. Na primeira e única oportunidade na segunda parte, o Braga fez o 2-0", continuou.

"Não quero falar da arbitragem, porque não quero justificar a derrota com o árbitro, mas com a falta de eficácia do Rio Ave, tivemos três grandes oportunidades para marcar. Quero falar sobre o Mehdi (Taremi), porque julgo que há uma ideia preconcebida [dos árbitros] sobre ele. Já estive para dizer isto num jogo anterior, mas a verdade é que o perdi por dois meses por entradas duras. Ele não se faz aos penáltis, é um jogador perigoso que tem levado uns valentes cacetes desde que chegou a Portugal. No jogo com o Sporting [3-2 para o Rio Ave], sofreu três penáltis que o VAR reviu, não foram inventados. Num desses lances, sofreu uma lesão que o afastou cerca de um mês. É importante rever todas as situações e não ir para o jogo com ideias preconcebidas", apontou, sobre o avançado do Irão.

"Queria ainda deixar uma palavra aos jogadores do Braga, que têm sido uns grandes heróis, e a um grande trabalho do Sá Pinto, porque imagino a dificuldade de jogar de quatro em quatro dias num relvado como este está, e recuperar os jogadores de jogo para jogo. É uma tarefa muito difícil e julgo que o relvado tem sido mesmo o grande adversário do Braga nos últimos jogos. Quero saudar o Braga pela excelente presença nas competições europeias", concluiu Carlos Carvalhal.