Uribe pede desculpa e nega festa até de madrugada

Uribe pede desculpa e nega festa até de madrugada

Médio colombiano do FC Porto, afastado da convocatória do FC Porto para o dérbi com o Boavista, explica-se com uma publicação na rede social

Matheus Uribe, um dos quatro sul-americanos do FC Porto afastados, por razões disciplinares, do dérbi deste domingo com o Boavista , recorreu às redes sociais para desculpar-se, mas, especialmente, para esclarecer o que aconteceu na noite de sexta-feira para sábado . " À meia-noite, depois dos meus companheiros saírem, fui descansar, já que no dia seguinte não tínhamos treino [FC Porto só treinou de tarde]. A minha família e eu sabemos que a prioridade número um neste momento é cuidar da minha condição física para ter o melhor desempenho de um jogador de futebol profissional", pode ler-se no longo texto na rede social Instagram.

O médio colombiano, que fora titular na quinta-feira, no Rangers-FC Porto, nega, de forma clara, ter estado na festa de aniversário da esposa até às 5 horas. "A minha esposa, amigos e família continuaram na festa que era no jardim da minha casa. Por essa razão os meios de comunicação social e as pessoas de fora dizem que estive até às 5 horas. O que é totalmente falso", explica.

" A quem duvidou de mim, peço que revejam a minha carreira desportiva, que me revela um jogador profissional, ético e empenhado. Neste momento estou 1000% comprometido com o FCPorto e continuará a ser assim. O meu pensamento é dar sempre o melhor", acrescentou.

Na mesma publicação, na qual pede desculpa por tudo o que se gerou, Uribe faz ainda uma crítica à forma como tudo foi tratado por alguma comunicação social. " Desculpa... É a única palavra que tenho para dizer agora a todas as pessoas que enviaram mensagens à minha mulher e a mim. Compreensão... É a palavra que eu gostaria que tivessem para comigo., O meu profissionalismo não deve ser posto em causa por alguns meios de comunicação social que exageram a situação sem saber o que realmente aconteceu ou que simplesmente distorceram as publicações nas redes sociais. A pergunta que lhes faço é esta: ande estava a vossa ética e veracidade nas notícias?", esclareceu.