UEFA destaca o "compromisso inabalável" de Pepe: "Tento passar o que recebi de Jorge Costa"

UEFA destaca o "compromisso inabalável" de Pepe: "Tento passar o que recebi de Jorge Costa"
Ana Luísa Magalhães

Tópicos

Pepe, central do FC Portol, concedeu uma entrevista na qual revisitou a carreira na Liga dos Campeões e os companheiros que o ajudaram a crescer

"Um competidor sem medo, reconhecido pela agressividade, um compromisso inabalável e uma mentalidade vencedora que nunca o abandonou."

É assim que a UEFA descreve Pepe, no preâmbulo de uma entrevista que revisitou os três clubes representados pelo defesa-central na Liga dos Campeões: FC Porto, Real Madrid e Besiktas.

"Pepe manteve-se leal aos seus ideais e levantou o troféu em três ocasiões", sublinhou a UEFA, num convite a desvendar os "segredos da longevidade" de Pepe através dos centrais com que se cruzou ao longo da carreira, a começar por 2004, quando chegou ao FC Porto para substituir Ricardo Carvalho.

Chegada ao FC Porto: "É sempre uma grande responsabilidade substituir grandes centrais que passaram aqui pelo FC Porto. O Jorge [Costa] ajudou-me muito. Naquela altura, ele o Vítor [Baía] eram as referências do clube, ajudou-me muito a passar do sentimento de vestir a camisola do FC Porto, a responsabilidade de representar o clube. Era o nosso 'Bicho'."

Passagem para o Real Madrid: "Era jogador jovem, saí de um campeonato sem tanta visibilidade e pude disputar a vaga com o Canavaro. O Sergio Ramos, na altura era lateral-direito. Para mim foi sempre um grande desafio. Saí do FC Porto muito bem preparado. Era uma paixão poder defender o Real Madrid, defender a minha posição, o meu jogo."

Experiência no Besiktas: "Não joguei contra o Besiktas, mas sentia que o público na Turquia era diferente, vivia o futebol de maneira diferente e eu precisava justamente disso. Estava num momento da carreira no qual precisava de sentir essa paixão do futebol, essa vivência dos adeptos e até a minha também. Tive a oportunidade de jogar na Turquia pelo Real Madrid e senti isso. Joguei com o [Domagoj] Vida e com o Dusko [Tosic], um central muito parecido comigo. Ajudaram-me muito e também os pude ajudar."

Regresso ao FC Porto: "O FC Porto tem uma mística muito grande, prepara muito bem os centrais. Eu tento passar o que o Jorge me passou, por exemplo. Acredito que o fizeram isso com ele também. Fizeram-me muito bem, fez-me crescer como jogador e pessoa. Por isso, quando termino o jogo, tenho de sair de campo com a sensação que dei o meu melhor. Independentemente de ganhar ou perder, sei que dei o meu melhor e que amanhã é outro dia e temos de olhar para a frente."