UEFA abre processo disciplinar ao FC Porto por alegados cânticos racistas

UEFA abre processo disciplinar ao FC Porto por alegados cânticos racistas

Em causa estão as acusações de cânticos racistas a Fernando Madureira, líder da claque SuperDragões.

A UEFA instaurou esta sexta-feira um processo disciplinar ao FC Porto, na sequência das acusações de conduta racista feitas por David Lemos, jornalista suíço, a Fernando Madureira, líder da claque SuperDragões.

De acordo com o organismo que tutela o futebol europeu, o clube azul e branco é acusado de cânticos racistas durante o jogo de quinta-feira com o Young Boys, no Estádio do Dragão, referente à primeira jornada da fase de grupos da Liga Europa.

O comité disciplinar da UEFA vai tomar uma decisão sobre o caso a 26 de setembro.

"Ontem [quinta-feira] no Porto, ouvimos claramente o líder dos ultras do FC Porto a gritar por duas vezes com o seu micro 'macaco!' para Jean-Pierre Nsame no momento em que ia marcar o penálti. As sanções serão impostas pelo clube contra esse indivíduo ou pela UEFA contra o clube? Digam-me que sim", referiu David Lemos do canal RTS no Twitter.

Fernando Madureira, em declarações ao JN, negou ter dirigido insultos racistas a Nsame, avançado do Young Boys: "Isso não faz sentido nenhum. O meu apelido é macaco! O macaco sou eu!", garantiu.